Juros futuros caem mesmo com preço elevado do dólar

A declaração do secretário do Tesouro, Carlos Kawall, hoje, fez diferença no mercado de juros nesta terça-feira. Ele disse, em Londres, que o processo de substituição das LFTs (títulos pós-fixados, atrelados à Selic) "não será feito a qualquer preço" e isto melhorou sensivelmente a parte longa da curva de juros. A maioria das taxas de depósito interfinanceiro (DI) futuro na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) fechou bem perto dos encerramentos anteriores, mesmo tendo começado o dia em elevação e apesar do juro do título do Tesouro dos Estados Unidos de 10 anos ter chegado a superar 2% de alta (novamente acima de 5%), além do preço elevado do dólar por aqui. O DI com vencimento para janeiro de 2008 (o mais negociado) encerrou a 14,68%, ante 14,69% de ontem. A expectativa pelo resultado dos leilões não foi a única para esta terça-feira. O mercado esperou também com bastante ansiedade o resultado das contas do governo central em março, que foi divulgada instantes antes do fechamento do mercado futuro de juros brasileiro. Por conta disto, a repercussão do superávit primário de R$ 7,069 bilhões nas contas do governo central de março só será feita amanhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.