Juros futuros recuam com Tombini e dólar segue em alta

Presidente do BC disse que o ciclo do aperto monetário já mostra resultados, ampliando as apostas no mercado de alta menor da Selic

Luciana Antonello Xavier, da Agência Estado,

18 de fevereiro de 2014 | 14h13

O dólar segue em alta ante o real enquanto a Bovespa busca fixar uma direção nesta tarde, após uma manhã tumultuada por uma série de declarações e indicadores. Os juros futuros mantêm a queda assumida após a fala suave do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, que afirmou que o ciclo de aperto monetário já mostra resultados, ampliando assim as apostas no mercado de alta menor da Selic, de 0,25 ponto porcentual, na próxima reunião.

Às 13h26, o DI para janeiro de 2015 tinha taxa de 11,14% ante 11,22% no ajuste de segunda-feira, 17, e o DI para janeiro de 2017 estava em 12,50%, de 12,58% na véspera.

O dólar à vista no balcão subia 0,29%, a R$ 2,3940, acompanhando o movimento ante outras moedas ligadas a commodities diante da notícia de corte da meta de crescimento da produção industrial da China para 9,5% em 2014, de 10% em 2013.

O Ibovespa, às 13h32, subia 0,18%, aos 47.659,91 pontos, acompanhando a melhora dos índices em Nova York. As ações das empresas do setor de energia continuavam em baixa, apesar de relatório do JP Morgan divulgado hoje dizendo que as empresas de transmissão não seria afetadas por um eventual racionamento de energia este ano.

"Existem abrigos relativamente seguros? Sim, o setor de transmissão", disseram os analistas do banco, ao avaliar o impacto do atual cenário para todas as elétricas. Às 13h23, as ações ON da Eletrobras caíam -0,42%, os papéis PN da Eletropaulo perdiam 2,17% e os da Light ON -4,01%. Em Wall Street, o Dow Jones operava estável, com viés de alta, enquanto o S&P 500 e Nasdaq subiam de forma mais consistente.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarjuros futurosTombini

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.