Juros futuros recuam na BM&F

Agência de classificação de risco Fitch rebaixou rating de Portugal de AA para AA-

Patricia Lara, da Agência Estado,

24 de março de 2010 | 10h49

Em um dia de agenda fraca no Brasil, a rota do mercado de juros deve ser ditada pela elevação da aversão ao risco no exterior, motivada pelo rebaixamento do rating (classificação de risco) de Portugal e dos crescentes sinais de que a União Europeia só deve liberar alguma ajuda à Grécia se tiver apoio do Fundo Monetário Internacional (FMI). O quadro externo deve puxar os prêmios na ponta longa dos contratos, com os vendedores tendo que oferecer taxas mais

altas para atrair compradores.

 

A agência de classificação de risco Fitch rebaixou hoje o rating (classificação de risco) de Portugal de AA para AA- e colocou como negativa a perspectiva para a nota de risco de crédito do país. Portugal ostenta hoje um déficit orçamentário de 9,3% do Produto Interno Bruto (PIB) e pretende reduzi-lo para 8,3% neste ano. Mesmo assim, o patamar está muito além do limite de 3% estabelecido pela União Europeia. "Um choque fiscal considerável em um cenário de relativa fraqueza macroeconômica e estrutural reduziu a solvência de Portugal", afirmou o diretor adjunto na equipe de crédito soberano da Fitch, Douglas Renwick.

 

O anúncio sobre o rating de Portugal ocorre um dia antes do início da reunião do Conselho Europeu e em meio à incerteza sobre um pacote de ajuda à Grécia. A Alemanha condicionou o apoio a uma participação substancial do FMI na operação de resgate, o que mostra que a União Europeia não deve ter uma solução interna para o problema da gerência da dívida do

país mediterrâneo.

 

Os fatores externos devem nortear o mercado interno de juros hoje, enquanto os investidores operam na expectativa pela ata da reunião do Comitê de política Monetária (Copom), que será divulgada amanhã. Na avaliação dos especialistas, o documento deve concluir a pavimentação das expectativas para uma alta da Selic (a taxa básica de juros da economia) no próximo encontro.

 

Às 14h30, o Ministério da Fazenda divulga o Relatório Mensal da Dívida Pública Federal de fevereiro. O documento traz estatísticas sobre emissões, estoque, prazo e custos médios das dívidas interna e externa de responsabilidade do Tesouro, além de informações sobre o Tesouro Direto e avaliação quadrimestral do Plano Anual de Financiamento (PAF).

 

Tudo o que sabemos sobre:
jurosBM&F

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.