Juros futuros sobem após IPCA-15 e IGP-M

Dados de inflação mostraram aceleração dos preços dos produtos agrícolas

Patricia Lara, da Agência Estado,

21 de setembro de 2010 | 10h07

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registrou inflação de 0,31% em setembro, após ter apresentado deflação de 0,05% em agosto, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os alimentos saíram do terreno negativo e apontaram uma alta de 0,30% nos preços em setembro. Na segunda prévia do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de setembro, divulgada hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), a inflação dos produtos agrícolas foi quase 30 vezes superior ao registrado em igual prévia de agosto. O índice geral apresentou inflação de 1,03% na segunda prévia de setembro. Com os resultados, os contratos futuros de DI sobem esta manhã, em relação aos fechamentos de ontem.

Os metalúrgicos também seguem ocupando o noticiário com conquistas de ganho real salarial e aumento de benefícios em vários Estados do País, enquanto os bancários estão na luta por reajustes reais. No que depender da massa salarial, o mercado tem razões para defender altas nas taxas futuras de juros. Os cerca de 2,7 mil metalúrgicos da Volvo do Brasil, instalada em Curitiba, aceitaram uma proposta da empresa, que reajusta o vale-mercado de R$ 60,00 para R$ 200,00. Os trabalhadores terão ainda reajuste salarial de 10,08% a partir deste mês, o que representa um aumento real de 5,55%, semelhante ao que já havia sido conseguido pelos trabalhadores da Renault, instalada em São José dos Pinhais (SP).

Os metalúrgicos também tiveram a promessa de abono de R$ 4,2 mil, a serem pagos em duas parcelas, uma ainda em setembro e outra no início de outubro. Em São Paulo, os metalúrgicos conquistaram reajuste de 10,81%. E os bancários estão envolvidos na campanha deste ano, pedindo aumento real e benefícios maiores.

Com os alimentos saindo de uma queda de 0,68% no IPCA-15 de agosto para uma alta de 0,30%, o IPCA-15 apontou alta de 0,31% e superou o teto das estimativas dos analistas, que era de 0,30%. A inflação dos produtos agrícolas no atacado foi de 3,47% na segunda prévia do IGP-M de setembro, quase 30 vezes superior à alta de 0,13% apurada nesse grupo de produtos na segunda prévia do mesmo índice em agosto.

Com o impulso dos produtos agrícolas, a segunda prévia do IGP-M acelerou em setembro, com alta de 1,03% - quase o dobro da taxa de 0,55% apurada em igual prévia do mesmo indicador em agosto. O resultado ficou perto da mediana das expectativas (1,05%).

O ambiente no exterior também serve de suporte para a alta dos prêmios nos contratos futuros de DI no Brasil. Leilões de títulos feitos pela Grécia, pela Espanha e pela Irlanda foram considerados bem-sucedidos, embora o Tesouro irlandês tenha ofertado um yield (retorno ao acionista) recorde para assegurar a procura por seus papéis.

Às 9h44 (horário de Brasília), a taxa projetada pelo DI com vencimento em janeiro de 2011 era de 10,67%, a mesma do fechamento de ontem. Já o contrato futuro de DI com vencimento em janeiro de 2012 apontava taxa de 11,55%, ante taxa de 11,53% do fechamento anterior. O contrato com vencimento em janeiro de 2013 apresentava taxa de 11,93%, ante taxa de 11,91% do fechamento de ontem.

Tudo o que sabemos sobre:
jurosinflaçãocommodities

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.