Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Juros futuros têm abertura tranqüila, em ligeira baixa

O mercado de juros dá sinais de que a abertura dos negócios será tranqüila. As taxas futuras indicam queda no pregão eletrônico da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), dando seqüência ao movimento de ontem, garantido pelo clima positivo no exterior e pela pesquisa eleitoral CNT/Sensus, reafirmando a probabilidade de definição da eleição presidencial no primeiro turno. Há operadores que acreditam, no entanto, que as projeções já estão perto do piso. Ou seja, que o espaço para a queda é limitado. "Nesses preços, podem surgir ordens de compra, porque as dúvidas sobre o cenário político não estão eliminadas", afirma um operador. O mercado aguarda hoje a nova pesquisa Ibope, e a sondagem do Datafolha, que sai amanhã. E monitora o noticiário político. O comportamento do mercado internacional também terá influência direta sobre os negócios. O Departamento do Comércio dos EUA divulgou queda de 0,5% nas encomendas de bens duráveis em agosto, surpreendendo economistas que esperavam aumento de 0,5%. O dado provocou a inversão do movimento dos índices futuros das bolsas norte-americanas, que mostravam alta logo cedo e por volta das 9h50 tinham ligeira queda. O indicador mais importante do dia, no entanto, será divulgado às 11 horas. Trata-se do indicador de vendas de imóveis novos em agosto, também nos Estados Unidos. No pregão eletrônico da BM&F, o juro projetado pelo contrato futuro de DI (depósito interfinanceiro) com vencimento em janeiro de 2008 estava em 13,61% ao ano, ante fechamento ontem a 13,64% ao ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.