Juros mantêm otimismo e recuam na abertura do pregão

A expectativa pela ata do Comitê de Política Monetária (Copom), que será divulgada na próxima quinta-feira, deve reduzir o ritmo de negócios no mercado de juros desde já. Segundo operadores, a liquidez deve ficar reduzida, porque o mercado, antes de assumir novas posições, quer conhecer o teor do documento que, ao explicar a decisão da última reunião do comitê, pode dar pistas sobre os próximos passos do BC. Mas, dizem profissionais, o ambiente no mercado continua bastante otimista e a perspectiva dos juros futuros é de mais queda. A pesquisa Focus, divulgada esta manhã pelo Banco Central, reflete o tom positivo do mercado. Houve mais alguns ajustes para baixo das projeções do mercado. Merece destaque o recuo da previsão da taxa Selic para o final de 2007, de 12,50% para 12,25% ao ano, e da taxa média em 2007, de 13% para 12,82%. Ou seja, o mercado acredita na continuidade do processo de alívio monetário no próximo ano. Isso mostra, segundo operadores, que ainda há prêmio na curva de juros e, portanto, espaço para queda das taxas futuras. Esse movimento pode não ganhar muita força esta semana, na opinião de operadores, porque o mercado deve aguardar o teor da ata e, então, consolidar suas apostas. "O ambiente é positivo e muitas instituições já trabalham com projeções ainda mais otimistas do que as apresentadas na pesquisa Focus. Mas a divulgação da ata será importante para o mercado avançar nas apostas", afirma um operador. A pesquisa Focus também mostrou mais uma ligeira redução na projeção do IPCA para 2006, de 3% para 2,97%. As projeções do Top 5 médio prazo, por sua vez, recuaram de 2,85% para 2,77%. Para 2007, as projeções também caíram, de 4,20% para 4,17%. Essas correções refletem duas outras mudanças nas projeções do mercado: a dos preços administrados (que caiu de 4,20% para 4,10% neste ano) e a do dólar (de R$ 2,18 para R$ 2,17). No pregão da Bolsa de Mercadorias & Futuros, o contrato futuro de DI (depósito interfinanceiro) com vencimento em janeiro de 2008 tinha taxa de 13,21% ao ano às 10 horas, ante fechamento na sexta-feira a 13,25% ao ano.

Agencia Estado,

23 de outubro de 2006 | 10h03

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.