Juros operam 'de lado' à espera de anúncio de superávit

O pregão desta sexta-feira, 29, começou como previsto, em compasso de espera. Os investidores de juros futuros olham para os dados das contas públicas, após o resultado do Governo Central ter vindo abaixo do esperado, na quinta-feira, 28. Os analistas estimam que o superávit primário consolidado do setor público (Governo Central, Estados, municípios e estatais, com exceção da Petrobras e Eletrobrás), que sai às 10h30, ficará entre R$ 5,7 bilhões a R$ 9,6 bilhões em outubro. Qualquer número fora desse escopo trará pressões para o mercado.

FERNANDO TRAVAGLINI, Agencia Estado

29 de novembro de 2013 | 09h57

Mas as incertezas não param por aí. Provavelmente a Petrobras deve anunciar logo mais, após sua reunião de Conselho (prevista para 10 horas), o aguardado reajuste para os combustíveis, da ordem de 5% para gasolina e de 10% para diesel, mas sem a tão falada regra para os próximos aumentos. Essa informação deve ser relevante para o comportamento do Ibovespa em dia em que os índices futuros em Nova York, assim como o futuro para o índice doméstico apontam leve alta, antes das aberturas.

Os juros futuros na BM&FBovespa operavam em leve alta na parcela curta da curva a termo e em elevação entre os contratos mais longos, novamente nesta semana na casa dos 13% para a taxa de 10 anos. Os Treasuries também sobem de maneira leve. Por volta das 9h50, o dólar à vista no balcão estava na máxima do dia, a R$ 2,3240 (+0,22%), após abrir em leve baixa.

Tudo o que sabemos sobre:
juros futurossuperávit

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.