Juros perto da estabilidade, após dados da Focus

Pesquisa mostrou que as expectativas para o IPCA de 2010 subiram para 5,10%

Patricia Lara, da Agência Estado,

22 de março de 2010 | 10h55

A primeira pesquisa Focus divulgada após o Comitê de Política Monetária (Copom) optar pela manutenção da Selic (a taxa básica de juros) em 8,75% ao ano mostra uma disseminação dos sinais de piora das expectativas para a inflação. Isso tende a dar passe livre para a reincorporação de prêmios nos contratos futuros de juros. Mesmo confirmando uma circunstância já prevista pelos agentes do mercado, o quadro externo também transfere um sinal de maior aversão ao risco e deve corroborar a elevação do rendimento associado aos contratos. O contraponto pode vir da alta, abaixo da mediana, do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), divulgado hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

 

A pesquisa Focus de hoje mostrou que as expectativas para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2010 subiram de 5,03% para 5,10%. Para 2011, a projeção passou de 4,60% para 4,70%. Não houve, no entanto, revisão nas expectativas de que a Selic subirá no próximo mês com dosagem de 0,50 ponto porcentual, mas os agentes trabalham com um ciclo mais prolongado de aperto monetário. Isso fez com que a projeção para a Selic no fim de 2011 subisse de 11% para 11,10%, o que sugere que o processo de arrocho terá continuidade no próximo ano.

 

Além dos dados da Focus, o exterior traz um sinal de aversão ao risco, o que deve se refletir, no mercado de juros brasileiro, em prêmios maiores para que os compradores assumam os papeis. O contraponto para evitar eventuais altas dos prêmios pode vir do IGP-M, que subiu 0,91% na segunda prévia de março, após avançar 1,10% em igual prévia de fevereiro. O

resultado ficou abaixo da mediana das expectativas, de 0,95%.

 

Por fim, faltam duas semanas para o mercado abandonar suas dúvidas sobre o destino do presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, que precisa deixar o cargo até 3 de abril se quiser se candidatar. No fim de semana, Meirelles manteve o suspense sobre seu destino. Ele disse que ainda não decidiu se permanecerá no cargo até o fim do governo Lula ou se irá se desincompatibilizar da função a tempo de concorrer a algum cargo.

 

Tudo o que sabemos sobre:
juros, BM&F

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.