Juros sobem com rumo direcionado por exterior

Os contratos de depósitos interfinanceiros (DI) com vencimentos mais curtos abriram em alta hoje, dando continuidade ao movimento observado após a queda ocorrida em sequência à divulgação da ata do Comitê de Política Monetária (Copom), na quinta-feira passada. Sem nenhum dado referencial doméstico sobre o comportamento da inflação, o movimento é relacionado ao ambiente externo, que transfere otimismo com a possibilidade de a União Europeia concluir um pacote de ajuda para a combalida Grécia. E hoje a China apresentou dados mais contidos de inflação ao consumidor e um relatório sugerindo que as medidas adotadas pelo governo já teriam desacelerado a velocidade de concessão de crédito

Patricia Lara, da Agência Estado,

11 de fevereiro de 2010 | 10h45

pelos bancos e de aumento dos preços de imóveis, o que pode esvaziar pressões para um aumento iminente nas taxas de juros.

 

Na China, a inflação ao consumidor registrou alta de 1,5% em janeiro em relação ao mesmo período do ano passado, ficando abaixo das expectativas de elevação de 2% e indicando desaceleração da alta de 1,9% de dezembro. As instituições financeiras da China concederam em janeiro o equivalente a 1,39 trilhão de yuans (US$ 203,457 bilhões) em novos empréstimos. A concessão de crédito diminuiu fortemente nas últimas duas semanas do mês e não chegou a bater a cifra de 1,425 trilhão de yuans prevista por economistas. Para completar, o preço dos imóveis urbanos em 70 cidades de grande e médio porte da China subiu 1,3% em janeiro, ante dezembro, uma velocidade inferior à evolução de 1,5% do último mês de 2009. Os dados aliviam um pouco as preocupações sobre uma elevação iminente da taxa básica de juros da China.

 

Na Europa, o primeiro-ministro da Espanha, José Luís Zapatero, que exerce a presidência rotativa da União Europeia, confirmou ontem que os países do bloco, liderados por alemães e franceses, vão ajudar os gregos. A notícia foi divulgada no fim do dia, quando boa parte dos mercados já estava fechada na Europa e Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
JurosBM&F

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.