Justiça condena dirigente da GM por crime contra ordem econômica

A juíza da 3ª Vara Federal Criminal de Porto Alegre (RS), Eloy Bernst Justo, condenou ontem (29) o diretor de assuntos institucionais da General Motors, Luiz Moan Yabiku Júnior, o presidente do Sindicato Nacional de Cegonheiros (Sindicam), Aliberto Alves, e o ex-presidente da Associação Nacional de Transportes de Veículos (ANTV) Paulo Roberto Guedes, por crimes contra a ordem econômica (formação de cartel). Eles poderão recorrer contra a decisão, que decorre de processo movido pelo Ministério Público Federal (MPF).Moan foi condenado a três anos e nove meses de prisão, mais um terço de custas processuais, convertidos em prestação de serviços comunitários e pagamento de 150 salários mínimos a entidade social. Conforme a argumentação do MPF, os condenados teriam impedido o ingresso de novos agentes no transporte de veículos novos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.