Libra cai com rumor de eleições antecipadas, apesar de PIB positivo

PIB teve avanço 0,3% no quarto trimestre de 2009, ante previsão de 0,1%

Danielle Chaves, da Agência Estado,

26 de fevereiro de 2010 | 09h55

A libra esterlina se enfraqueceu nesta manhã, depois de o governo do Reino Unido informar que o Produto Interno Bruto (PIB) britânico cresceu mais do que o estimado anteriormente nos últimos três meses do ano passado e conforme aumentaram as especulações de que o dado pode levar a uma convocação de eleições gerais antecipadas. Os bônus do governo britânico caíram, enquanto o índice FT-100 da Bolsa de Londres subiu levemente.

 

De acordo com o Escritório Nacional de Estatísticas, o PIB teve expansão de 0,3% no quarto trimestre de 2009, em vez do crescimento de 0,1% estimado inicialmente. Normalmente, tal informação fortaleceria a libra, mas a moeda caiu de US$ 1,5307 pouco antes do anúncio para US$ 1,5261. O euro avançou de 0,8875 libra para 0,8925 libra, depois de atingir o maior nível em seis semanas.

 

Operadores atribuíram o enfraquecimento da moeda aos rumores de que o dado melhor do que o esperado pode levar o primeiro-ministro Gordon Brown a convocar eleições gerais - já que ele pode alegar que a economia do Reino Unido está no caminho da recuperação. O blog Guido Fawkes afirmou que a equipe da empresa de comunicações British Broadcasting Corporation foi colocada em alerta neste fim de semana por causa de uma possível convocação de eleições, embora a votação não deva ser realizada antes de 3 de junho.

 

Economistas alertaram que a economia do Reino Unido não está fora de perigo ainda. "Os número são encorajadores, mas o primeiro trimestre deste ano começou fraco, com vendas no varejo em queda e dados sobre crédito paralisados", afirmou James Knightley, do ING Financial Markets.

 

Com relação à libra, a revisão em alta do PIB implica uma perspectiva para a política monetária incerta que está aqui para ficar, segundo Audrey Childe-Freeman, estrategista de moedas da Brown Brothers Harriman. Isso, "deixa a libra vulnerável", acrescentou.

 

As especulações diminuíram depois que um porta-voz do primeiro-ministro afirmou que Brown não tem "qualquer audiência com a rainha planejada para esse fim de semana". O primeiro-ministro precisa de aprovação formal da rainha Elizabeth II para convocar uma eleição. Mas a libra seguiu em queda. Às 9h30 (de Brasília), a libra caía para US$ 1,5237, de US$ 1,5271 no fim da tarde de ontem. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Libra, Reino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.