Logan, da Renault, abre temporada de lançamentos

A Renault intensifica este mês a contratação de funcionários na fábrica de São José dos Pinhais (PR) para o início da produção do Logan. O modelo é um sedã pequeno, mas terá preço na faixa de carros compactos 1.0, os chamados populares, próximo a R$ 25 mil, segundo projeções do mercado automotivo.O Logan chegará ao mercado em 2007, provavelmente com motores 1.0 e 1.6, e inaugura nova onda de lançamentos no País, que vão de carros populares a versões mais caras.A Ford já concluiu o desenvolvimento do modelo popular que será produzido em São Bernardo do Campo (SP) em 2008. O carro será o mais barato da marca, posição hoje do Ka, vendido a R$ 24 mil. A Volks também prepara para daqui a dois anos a nova geração do Gol em Taubaté (SP), com uma versão mais barata que a atual. Já a Fiat deve produzir em Betim (MG) o Grande Punto, um compacto premium (de luxo) que ficará entre o Palio e o Siena.Com participação no mercado na casa dos 2,7% e na oitava posição entre as montadoras, a Renault aposta suas fichas no Logan. A marca já ocupou o quinto lugar no ranking nacional, mas foi ultrapassada por Honda, Toyota e Peugeot.Na Europa foram vendidas 291 mil unidades do Logan desde o lançamento, em 2004. A versão mais barata custa o equivalente a R$ 21 mil. As fábricas do carro na Romênia e na Rússia serão ampliadas para atender à demanda. Com a chegada do Logan ao mercado brasileiro, as projeções do mercado são de que a Renault poderia deixar de fabricar o Clio ou produzi-lo apenas nas versões mais caras.O início da produção do Logan, previsto para março, levará à reabertura do segundo turno na fábrica do Paraná, interrompido há quatro anos. "Vamos voltar com o segundo turno e com número maior de funcionários", diz o diretor de Recursos Humanos, Carlos Magni. Neste ano já foram contratados mais de 300 funcionários, parte deles para a linha do Mégane, que no fim do ano terá uma versão perua, a Grand Tour. Nos próximos meses serão mais 750 contratações."Antes de ir para a linha, o funcionário passa por seis semanas de treinamento, incluindo preparo físico", diz Magni. Um centro especializado prepara o trabalhador com reforço muscular em 24 sessões de uma hora. A empresa fechou 2005 com 2.830 funcionários. Chegará a 3,4 mil em dezembro e a 3,9 mil em 2007. Até o fim do próximo ano, a Renault espera ocupar toda sua capacidade produtiva, de 200 mil veículos por ano.Da nova leva de lançamentos já confirmados, o popular da Ford deve ser o mais barato. Será produzido em uma plataforma mista do Ka e do Fiesta Street. Hoje custaria cerca de R$ 20 mil. Outros projetos de populares estão nos planos da GM e da Volkswagen, mas ainda sem prazos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.