Lucro da CCR sobe 9,3% em 2006, para R$ 547 milhões

A Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) registrou lucro líquido de R$ 547,3 milhões em 2006, com alta de 9,3% sobre o ano anterior. A receita líquida cresceu 9,8%, para R$ 2,145 bilhões, enquanto a margem operacional (Ebitda, ou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) ficou em R$ 1,206 bilhão, com evolução de 9,4%. A margem Ebitda (relação entre a receita líquida e o Ebitda) foi de 56,2%, mantendo-se estável em relação ao mesmo intervalo de 2005.No quarto trimestre do ano, o lucro líquido somou R$ 232,7 milhões, com expansão de 52,5% ante os R$ 152,6 milhões registrados em igual período do ano anterior. A receita líquida, por sua vez, cresceu 2,8% no período e atingiu R$ 567,5 milhões. O Ebitda no intervalo somou R$ 322,7 milhões, com crescimento de 4,4%. A margem Ebitda foi de 56,98%.O aumento no lucro deve-se ao crescimento de 5,4% no tráfego das estradas administradas pela empresa e também à contabilização de 12 meses de resultados da ViaOeste - em 2005 foram apenas 10 meses, segundo informou o gerente financeiro e de Relações com Investidores da companhia, Arthur Piotto.No quarto trimestre de 2006, especificamente, o aumento de 52,5% no lucro líquido, para R$ 232,7 milhões, deve-se à melhor performance operacional e à reversão das provisões de Imposto de Renda e Contribuição Social da AutoBAn e ViaOeste, no total de R$ 112,4 milhões.?Foi um ano muito bom, com expansão da margem operacional, apesar da incidência de novos custos, como os associados a atividades que a empresa se envolveu na busca de novos negócios fora do País e o aumento das despesas operacionais por conta de investimentos realizados?, afirma.Com exceção das concessionárias Ponte e ViaLagos, todas as demais apresentaram crescimento. Os principais fatores para o aumento foram o maior escoamento de açúcar, álcool e suco de laranja para o Porto de Santos pela AutoBAn e ViaOeste; o aquecimento da atividade econômica na NovaDutra; a recuperação do agronegócio na RodoNorte; e a cobrança bidirecional implantada na praça de Araçoiaba da Serra, administrada pela ViaOeste. A empresa destaca ainda o crescimento de 26% no número de usuários do Sem Parar, que passou de 538 mil para 678 mil em 2006.Em 2006, os investimentos da companhia totalizaram R$ 460,1 milhões, ante os R$ 353 milhões do ano anterior. As concessionárias que mais investiram no período foram a AutoBAn e a ViaOeste, representando, respectivamente, 34,2% e 35,9% do total.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.