Lucro da Microsoft cresce 11% de julho a setembro

A Microsoft informou que registrou um aumento de 11% no lucro e na receita trimestral, que ficaram no teto das expectativas, citando contínua forte demanda por seu software de servidor e vendas acentuadas de seu videogame Xbox. As ações da Microsoft chegaram a cair 0,4% nas transações do after-hours (pregão noturno) do mercado norte-americano, uma vez que as previsões de lucro para o segundo trimestre fiscal ficaram abaixo das projeções de Wall Street, apesar das expectativas de contribuição de seu novo sistema operacional Vista. Essa fraqueza, porém, não persistiu e as ações da companhia se recuperaram. Por volta das 19h30, o papel registrava um ganho de 0,42%. Depois do fechamento do mercado, a gigante do setor de software informou que obteve um lucro de US$ 3,48 bilhões (US$ 0,35 por ação) em seu primeiro trimestre fiscal (encerrado em 30 de setembro), de um lucro de US$ 3,14 bilhões (US$ 0,29 por ação) registrado em igual período do ano passado. A Microsoft informou que o resultado do primeiro trimestre fiscal inclui encargos legais de US$ 361 milhões, ou US$ 0,02 por ação. Os analistas, na média, estavam esperando um lucro de US$ 0,31 por ação, segundo a Thomson First Call. Nos mesmos períodos de comparação, a receita da Microsoft subiu de US$ 9,74 bilhões para US$ 10,81 bilhões, resultado que ficou acima das expectativas dos analistas, de US$ 10,75 bilhões. Para o segundo trimestre fiscal (que se encerra no dia 31 de dezembro), a companhia disse que prevê receita entre US$ 11,8 bilhões e US$ 12,4 bilhões. Os analistas estavam esperando uma projeção de receita de US$ 12,94 bilhões, de acordo com a Thomson First Call. No pregão regular de hoje, as ações da Microsoft fecharam a US$ 28,35, em alta de 0,14%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.