Lucro da Telefónica salta 41% no 2º trimestre, para ? 1,3 bilhão

A Telefónica SA anunciou salto de 41% nos lucros durante o segundo trimestre, com destaque para as aquisições. Estimulado pelos resultados, o grupo espanhol elevou a projeção de receita para suas operações de telefonia móvel no Reino Unido em dois pontos porcentuais.A maior operadora de telecomunicações na Espanha e América Latina obteve lucro líquido de 1,3 bilhão de euros (US$ 1,64 bilhão) no período de três meses encerrado em 30 de junho, superando a estimativa de seis analistas consultados pela Dow Jones Newswires, de 1,17 bilhão de euros. No segundo trimestre de 2005, a operadora registrou lucro de 922,9 milhões de euros.A receita cresceu 47,3% nas mesmas bases de comparação, de 8,97 bilhões de euros para 13,22 bilhões de euros, impulsionada pela consolidação da divisão de telefonia móvel no Reino Unido O2 e da República Checa, ambas compradas no ano passado. Agora o grupo projeta crescimento entre 8% e 11% na receita de sua unidade no Reino Unido. Anteriormente, a operadora previa acréscimo entre 6% e 9%.O lucro operacional antes de depreciação e amortização (OIBDA, equivalente ao Ebitda) saltou 44,7% no trimestre, para 4,59 bilhões de euros. No semestre, o OIBDA da Telefónica cresceu 41%, para 9,24 bilhões de euros. A Telefónica O2 Europa (nova divisão do grupo que reúne as operações da O2 na Alemanha, Irlanda e Reino Unido, mais a Telefónica O2 República Checa, antiga Cesky Telecom) contribuíram com 1,76 bilhão de euros no OIBDA durante o semestre, com o total de 5,83 bilhões de euros em receita.A receita de sua unidade de telefonia fixa no mercado espanhol subiu apenas 0,3% no segundo trimestre, para 2,98 bilhões de euros, com aumento de 25% nas vendas de Internet de banda larga compensando a receita menor com ligações tradicionais. Na América Latina, a divisão de telefonia fixa da Telefónica apresentou alta de 16,7% nas vendas durante o trimestre, também impulsionadas por um crescimento sólido no segmento de banda larga. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.