Magazine Luiza abrirá 60 lojas e prevê faturamento 31% maior em 2007

A rede Magazine Luiza realizará, em 2007, o maior plano de expansão orgânica da empresa, com a abertura de 60 unidades. A ampliação por meio de lojas próprias, sem ser feita através de aquisições de redes de varejo, será o principal motivo para o crescimento previsto de 31% do faturamento da empresa em 2007, que, se alcançado, somará R$ 2,8 bilhões. No ano passado, a rede faturou R$ 2,1 bilhões.De acordo com o diretor de vendas e marketing da rede, Frederico Trajano, a expansão deste ano não incluirá a entrada em novos estados. Atualmente, o Magazine Luiza está presente em sete Estados (São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás, Rio Grande do Sul e Santa Catarina). O executivo avalia que poderá iniciar a atuação para outros Estados a partir de 2008. ?Só vamos para outros (Estados) quando estabelecemos a liderança ou a vice-liderança nos estados atuais", afirmou. "A gente tem o compromisso de crescer. O crescimento visa à sobrevivência?, ressaltou.Um dos principais alvos neste ano será o início de operação em Belo Horizonte. Em maio, a rede abrirá dez lojas na região metropolitana da cidade. Do total de lojas previstas para este ano, outras 15 serão inauguradas no Estado de São Paulo. Um dos mercados visados é o litoral paulista. Das 60, 15 terão o modelo de loja virtual, sem produtos expostos ou estoques, em que a venda é feita pela internet e é voltado para cidades com até 50 mil habitantes.A operação na capital paulista, que chegou a ficar próxima por três vezes, continua sendo considerada, mas não há nenhuma negociação em curso. ?Temos que ter uma oportunidade de aquisição?, afirmou o diretor Trajano. Segundo ele, haveria a necessidade da abertura de 60 lojas para a entrada na cidade de São Paulo.Um novo centro de distribuição da empresa, instalado em Louveira (SP), com 62 mil metros quadrados, tem capacidade de atender o mercado, segundo Trajano. Essa unidade, a ser inaugurada em maio, suportará também a demanda do site da rede, que possui a maior parte dos clientes da cidade de São Paulo.Para este ano, a previsão da rede é registrar avanço de 10% no faturamento, no conceito mesmas lojas, em relação a 2006. No ano passado, o crescimento foi de 4% nesse critério, na comparação com o igual período anterior. ?Não perdemos participação de mercado. Não sentimos agressividade do Ponto Frio nem de qualquer outro concorrente?, disse. No primeiro trimestre deste ano, apontou Trajano, o crescimento foi de 5% no critério mesmas lojas. "Só fevereiro foi fraco", disse.CampanhaO Magazine Luiza investirá R$ 50 milhões em campanha promocional para impulsionar as vendas em 2007, quando a varejista completa 50 anos. De acordo com o diretor de marketing e vendas da rede, Frederico Trajano, essa será a maior ação na área já feita pela empresa. O total destinado ao marketing em 2007, porém, não ultrapassará o gasto no ano passado.Com Fausto Silva como garoto-propaganda, a empresa sorteará 50 casas até o final do ano. Os ganhadores também vão participar de quadro exclusivo da varejista no Domingão do Faustão. O apresentador da Rede Globo ajudará ainda no anúncio da entrada da varejista na capital mineira, sem ser exclusivo para a campanha de aniversário da rede. De acordo com o diretor, essa será a primeira vez que Fausto aceita realizar uma campanha de uma empresa varejista.O Magazine Luiza prevê crescimento de 90% no site de comércio eletrônico neste ano, superior ao 45% estimados para o mercado de varejo online no período. De acordo com o gerente-geral de e-commerce da empresa, Francisco Donato, o segmento passará a responder, ainda em 2007, pela maior parte do faturamento de R$ 350 milhões previstos para as vendas online da varejista, que inclui também as compras feitas nas ?lojas virtuais?, modelo de unidade física da empresa, onde as vendas são feitas por computador. ?Temos movimentos internos que faz mudarmos de patamar muito rapidamente?, afirmou. No ano passado, o e-commerce do Magazine Luiza registrou faturamento de R$ 230 milhões.Donato informou que, ainda neste ano, o Magazine Luiza pretende ampliar o mix de produtos no site, oferecendo itens que não são comercializados pelas lojas físicas, a exemplo de livros. Segundo ele, algumas categorias poderão ser introduzidas no site por meio de parcerias com lojas especializadas e que já operem na internet. Neste ano, o departamento comercial voltado para as vendas por meio do site está dobrando de tamanho. O investimento em marketing voltado para a área também será 100% superior ao de 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.