Maioria das bolsas asiáticas fecha em alta

A demanda de investidores por blue chips excessivamente baratas no setor financeiro ajudou a Bolsa de Xangai, na China, a reverter as perdas do início do pregão e a interromper uma série de cinco dias de queda. O índice Xangai Composto fechou hoje em alta de 2,4% e o Shenzhen Composto subiu 1,8%. Os analistas, porém, esperam que a bolsa retome em breve sua tendência de baixa, motivada por vendas dos fundos de ações por preocupações a respeito da existência de uma bolha especulativa no mercado. Os papéis dos bancos tiveram um repique de alta nesta terça-feira: Hua Xia Bank chegou ao limite diário de valorização, de 10%, assim como o China Minsheng Banking. Sehnzhen Development Bank, que subiu 5%. No mercado cambial chinês, o yuan se valorizou frente ao dólar, refletindo a alta do iene sobre a moeda norte-americana, em antecipação à reunião do G-7 (grupo dos sete países mais industrializados) no final de semana, na Alemanha. A reunião pode discutir o valor do iene e a necessidade de uma flexibilização na política cambial da China. Os operadores acreditam que o dólar pode cair ainda mais antes da reunião. No sistema automático de preços, às 5h25 (de Brasília), o dólar era cotado a 7,7555 yuans, contra 7,7600 no fechamento de ontem. No mercado de balcão, o dólar valia 7,7574 yuans às 5h30 (de Brasília), abaixo do fechamento a 7,7609 yuans. Os ganhos da bolsa chinesa impulsionaram os negócios em Hong Kong, projetando o índice Hang Seng em alta de 1%, a 20.655,20 pontos no fechamento. Analistas advertem que o índice pode ter desempenho limitado nos próximos dias, já que está próximo do nível recorde de 20.971 pontos atingido durante a sessão de 24 de janeiro. O índice Taiwan Weighted da Bolsa de Taipé, em Taiwan, fechou em alta de 1,2%, puxada pelos ganhos com papéis do setor de transportes, que, no entanto, foram parcialmente ofuscados por perdas no segmento de turismo. As ações das empresas de transportes se valorizaram após um jornal local anunciar um provável aumento da taxa de embarque marítimo. Yang Ming Marine e Wan Hai fecharam no limite diário de valorização, de 7%. Os papéis do setor de turismo foram pressionados pelas realizações de lucros que se seguiram às fortes altas de ontem. Ambassador Hotel declinou 0,9%. Os setores de siderurgia e de aparelhos de TV impulsionaram a alta do índice Kospi da Bolsa de Seul, na Coréia do Sul. O índice fechou o pregão com ganho de 0,8%. A siderúrgica Posco avançou 3,6%. Os papéis da empresa foram beneficiados pela expectativa de que a China reduza o benefício fiscal para exportação de alguns produtos siderúrgicos, a fim de aumentar a oferta desses produtos no mercado interno. Também pesou na alta a reunião de hoje da diretoria da Posco, que deve decidir sobre recompra de ações e pagamento de dividendos. A LG.Philips LCD teve alta de 6,5%, estimulada pela forte demanda por TVs de tela plana. As ações de bancos lideraram a alta da Bolsa de Sydney, na Austrália, em um dia de valorização em diversos setores, apesar da falta de influência dos mercados externos. O índice S&P/ASX 200 subiu 0,8%, estimulado por declarações positivas do secretário do Tesouro australiano, Peter Costello. Ele disse que a inflação está bem controlada e que o crescimento da oferta de empregos é muito forte no país. As atenções dos investidores agora estão voltadas para os resultados do primeiro semestre fiscal da mineradora BHP Billiton, que saem amanhã. A estimativa é de um lucro de US$ 6,3 bilhões. As ações da empresa fecharam hoje com alta de 1%. A Bolsa de Manila, nas Filipinas, finalmente sucumbiu à realização de lucros, após seis sessões de alta, nas quais o índice PSE Composto acumulou um ganho de 3,8%. O índice encerrou o pregão de hoje com queda de 0,3%, depois de ter atingido no meio do dia a maior pontuação dos últimos dez anos. Filinvest Land foi o papel mais negociado, atingindo valorização de 12%, após 11 sessões em que esteve suspensa da bolsa, enquanto preparava a emissão de um novo lote de ações. Metrobank recuou 2,4% e Ayala Land declinou 1,4%. O aumento de 6,9% nos lucros da Ayala em 2006 ficou dentro do esperado. Em Jacarta, na Indonésia, o índice JSX composto fechou em queda de 0,41%; o índice composto da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, terminou em alta de 0,89%. Em Cingapura, o índice Strait Times fechou estável. O índice SET da Bolsa de Bangcoc, da Tailândia, fechou em queda de 0,12% (preliminar) e o Sensex, da Índia, terminou em baixa de 0,25% (preliminar). As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.