Maioria das bolsas da Ásia recua após dados da China

Números do setor imobiliário chinês se somaram ao pessimismo com crescimento econômico e com ofertas públicas iniciais de ações

Marcelo Ribeiro Silva, da Agência Estado,

19 de maio de 2014 | 08h30

As bolsas asiáticas encerraram o pregão desta segunda-feira majoritariamente em queda diante da preocupação com dados do setor imobiliário chinês, que saíram no final de semana. O pessimismo também prevaleceu em função da cautela em relação ao crescimento econômico e às próximas ofertas públicas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês) do país.

Os preços médios de residências na China cresceram em abril em ritmo significativamente mais lento que nos meses anteriores. Além disso, foram registradas altas de preços em apenas 44 de 70 cidades pesquisadas. Como o setor imobiliário é um dos pilares do crescimento econômico chinês, o principal índice acionário do país, o Xangai Composto, reagiu em queda de 1,05%, a 2.005,37 pontos. No mesmo sentido, o índice Shenzhen Composto recuou 0,51%, a 1.014,19 pontos.

Segundo Zhang Gang, analista da Central China Securities, os negócios nos mercados chineses também foram influenciados hoje pela expectativa com novos IPOs e pelas recentes alterações no regulamento do mercado de capitais.

Entre as ações negociadas nas bolsas chinesas, os papéis da Haitong Securities e da Citic Securities caíram 2,9% e 2,5%, respectivamente. As ações da Ping An Insurance Group recuaram 2,1%, e as da China Pacific Insurance (Group) cederam 1,9%, enquanto as da China Resources Land e as da Poly Real Estate Group perderam 1,2% e 0,9%.

O mercado em Hong Kong também foi ligeiramente pressionado pelas preocupação com o setor imobiliário do gigante asiático. O índice Hang Seng recuou 0,04%, a 22.704,50 pontos.

Por outro lado, os mercados da Coreia do Sul e das Filipinas encerraram em campo positivo e a Bolsa de Cingapura fechou estável. O índice Kospi subiu 0,08% na Bolsa de Seul, para 2.015,14 pontos, enquanto o PSEi, de Manila, avançou 0,78%, para 6.870,90 pontos, e o FTSE Straits Times permaneceu inalterado, em 3.262,43 pontos.

Na região do Pacífico, o mercado australiano fechou em baixa, pressionado por ações do setor de mineradoras. Os investidores do país operaram com pessimismo, após o preço do minério de ferro no mercado spot ter atingido o menor nível em 20 meses. Os dados chineses contribuíram para que a cautela prevalecesse. O S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, cedeu 1,28%, a 5.409,00 pontos. Entre os papéis, os da Fortescue Metals Group caíram 4,59%, enquanto os da Rio Tinto perderam 2,85% e os da BHP Billiton recuaram 1,71%. (Marcelo Ribeiro Silva, com informações da Dow Jones Newswires - marcelo.silva@estadao.com)

Tudo o que sabemos sobre:
ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.