Maioria das bolsas da Europa fecha em alta

Impulso ao mercado veio com o relatório de emprego dos Estados Unidos, divulgado pela manhã

22 de outubro de 2013 | 14h37

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira, 22, com dados fracos do mercado de trabalho dos EUA gerando expectativas de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) manterá sua política de estímulos por mais tempo. Em sua nona sessão consecutiva de ganhos, o índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 0,45%, para 320,97 pontos.

O impulso às ações europeias, que mais cedo mostraram volatilidade, veio com o relatório de emprego dos EUA, que no mês passado criaram apenas 148 mil empregos, bem menos que as 180 mil vagas previstas por analistas. Apesar do resultado fraco do ponto de vista macroeconômico, os investidores preferiram se concentrar no fato de que os números encorajam o Fed a manter inalterada sua política de relaxamento quantitativo, que incluem compras mensais de US$ 85 bilhões em bônus. Neste ano, o Fed ainda tem reuniões de política monetária previstas para a semana que vem e para dezembro.

Na agenda de indicadores da Europa, o Reino Unido divulgou que tomou menos empréstimos em setembro do que no mesmo mês do ano passado, graças à recuperação da economia britânica, que impulsionou as receitas fiscais. Os empréstimos líquidos do setor público - a medida preferida do governo sobre o déficit orçamentário - caíram para 11,1 bilhões de libras (US$ 17,9 bilhões) no mês passado.

Entre as grandes bolsas do continente europeu, a de Londres teve o segundo melhor desempenho nesta terça-feira, 22, com alta de 0,62% no índice FTSE 100, a 6.695,66 pontos. A mineradora anglo-australiana BHP Billiton saltou 4,1% após divulgar números positivos de produção em seu primeiro trimestre fiscal. O índice DAX, que reúne as ações mais negociadas em Frankfurt, teve o maior avanço do dia, de 0,90%, a 8.947,46 pontos. Deutsche Post subiu 3,5%, mas Lufthansa recuou 2,4%.

Em Paris, o índice CAC-40 terminou a sessão com ganho de 0,43%, a 4.295,43 pontos. A Sanofi mostrou alta de 1,3%, enquanto a ArcelorMittal registrou a maior queda, de 3,7%, após ter sua recomendação pela UBS rebaixada de "compra" para "venda". Já a petroleira Total recuou 0,44%, depois de um consórcio do qual a companhia francesa faz parte ter recebido ontem os direitos para desenvolver o Campo de Libra, no Brasil.

No mercado italiano, o índice FTSE Mib, subiu 0,57%, a 19.371,93 pontos. Os destaques em Milão foram bancos como o Banca Monte dei Paschi di Siena (+1,3%) e o Intesa Sanpaolo (+0,99%). O UniCredit, por outro lado, caiu 0,98%.

As exceções de hoje foram as bolsas de Madri e Lisboa, ambas mostrando correções para baixo após os ganhos recentes. O índice espanhol Ibex 35 recuou 0,25%, a 10.012,90 pontos. Já o português PSI 20, que vinha numa sequência de nove sessões de alta, caiu 0,84%, a 6.347,41 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.