Maioria dos metais básicos fecha em queda

Contrato do cobre para três meses negociado na LME fechou em queda de 1,3%, a US$ 8.949 a tonelada

Clarissa Mangueira, da Agência Estado ,

19 de maio de 2011 | 15h59

Os contratos futuros dos metais básicos fecharam em queda na sua maioria na London Metal Exchange (LME), após uma sessão volátil e conduzida pelos movimentos cambiais.

O contrato do cobre para três meses negociado na LME fechou em queda de US$ 115,00, ou 1,3%, a US$ 8.949 a tonelada. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do cobre para julho fechou com declínio de US$ 0,0525, ou 1,28%, para US$ 4,0525 por libra-peso.

E, embora um retorno aos preços recordes registrados no início do ano ainda possa ser visto para o metal, o progresso de alta tende a ser instável e difícil, afirmaram participantes do mercado.

O contrato do cobre para três meses atingiu uma máxima recorde de US$ 10.190,00 a tonelada em fevereiro, mas foi afetado nas últimas semanas pelo amplo declínio no apetite por risco.

Apesar de vários trechos de notícias macroeconômicas terem despertado o interesse do mercado durante todo o dia, o foco das atenções permanece firme nas flutuações do dólar, disseram analistas.

Os metais, que são precificados em dólar, tendem a ter uma relação inversa à moeda, visto que quando o dólar recua, eles ficam mais baratos para os detentores de outras moedas. Às 15h15 (de Brasília), o euro estava cotado em US$ 1,4316, de US$ 1,4250 no fim da tarde de quarta-feira.

O chumbo foi o único metal do complexo a encerrar a sessão em território positivo, com alta de US$ 28,00, ou 1,1%, em US$ 2.472,00 a tonelada.

Entre os outros metais negociados na LME, o contrato do zinco para três meses recuou US$ 53,50, para US$ 2.134,50 a tonelada, enquanto o do alumínio cedeu US$ 58,00, para US$ 2.498,00 a tonelada. O contrato do níquel para três meses caiu US$ 1.095,00, para US$ 23.555,00 a tonelada, enquanto o contrato do estanho diminuiu US$ 110,00, para US$ 28.240,00 a tonelada.

No mercado de metais preciosos, o ouro e a prata fecharam em queda, depois que a divulgação de dados macroeconômicos desfavoráveis nos EUA colocaram mais uma vez a recuperação econômica do país sob questão. O contrato do ouro para junho cedeu US$ 3,40 ou 0,23%, para US$ 1.492,40 por onça-troy, na Comex. O contrato da prata para julho caiu US$ 0,165, ou 0,47%, para US$ 34,932 a onça-troy. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLMEcobreouroprata

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.