Melhora externa leva juro a fechar em baixa na BM&F

Os juros futuros mantiveram-se voláteis, mostrando mais uma vez vulnerabilidade ao comportamento do mercado externo. As taxas iniciaram o pregão em alta e oscilaram intensamente durante a manhã. No início da tarde, os contratos devolviam a alta e operavam em ligeiro recuo em relação ao fechamento de ontem, acompanhando a melhora de humor nas bolsas internacionais e na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). No encerramento do pregão de hoje, o contrato de depósito interfinanceiro (DI) mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), com vencimento em janeiro de 2008, terminou projetando taxa de 12,41% ao ano, ante 12,43% do fechamento do dia anterior. A melhora do mercado só ocorreu porque, segundo apurou a Agência Estado com analistas, a queda dos preços do petróleo passou a ser considerada como fator que ajuda a reduzir as pressões inflacionárias e a colocar mais dinheiro no bolso para o consumo, o que é saudável para o lucro das empresas. A expectativa de que a temporada de divulgação de resultados do quarto trimestre será positiva também volta a ser citada como fator de impulso para as compras de ações. Os investidores também ficaram satisfeitos com um dado mostrando vigor no mercado de trabalho norte-americano. O Departamento do Trabalho dos EUA informou que o número de pedidos de auxílio-desemprego feitos na semana até 6 de janeiro caiu 26 mil, para 299 mil na semana até 6 de janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.