Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Dólar fecha em leve queda após Senado confirmar impeachment de Dilma

Segundo operadores, resultado da votação do impeachment já estava no preço dos ativos e que melhora só virá com ajuste fiscal

O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2016 | 14h55

SÃO PAULO - O dólar fechou em leve queda de 0,36% nesta quarta-feira, 31, encerrando os negócios cotado a R$ 3,2557, após o Senado aprovar o impeachment de Dilma Rousseff por 61 votos a 20. Já a Bovespa encerrou o dia com uma queda mais forte, de 1,15%, aos 57.901,10 pontos. 

A estabilidade frente ao real se deve às expectativas de investidores que seu sucessor Micher Temer tenha mais força para aprovar medidas de austeridade fiscal no Congresso Nacional. 

Ao longo do dia, os movimentos foram limitados também pela percepção de que o Federal Reserve, o banco-central norte-americano, deve voltar a elevar os juros em breve, possivelmente no mês que vem. A divisa norte-americana subiu frente às principais moedas emergentes, que costumam atrair investidores com rendimentos mais elevados.

 

Investidores esperam demonstração de força política do novo Presidente da República, que vem enfrentando dificuldades para encontrar suporte na Câmara dos Deputados e no Senado para suas medidas de ajuste fiscal.

"Esse resultado já estava praticamente todo no preço, exceto a vantagem, que foi um pouco maior do que alguns esperavam. Agora dá para deixar isso para trás e focar no ajuste fiscal", disse o operador de uma corretora nacional.

"Daqui para frente, os preços (nos mercados financeiros) só vão continuar melhorando se houver um ajuste fiscal claro que comece o mais cedo possível. E eu acho que há espaço para melhorar", disse o diretor de gestão de recursos da corretora Ativa, Arnaldo Curvello.

"O mercado foi bastante complacente com o governo (Temer) por causa da interinidade, assumindo que ele evitou atritos com o Congresso para não atrapalhar o processo de impeachment, mas isso acaba agora", acrescentou ele. / COM REUTERS

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.