Mercado em análise

Sem dado relevante previsto para esta terça-feira, o índice de confiança do consumidor levemente acima do esperado, mas abaixo do último dado acabou se tornando desculpa para uma nova queda dos preços dos ativos de risco, em movimento intenso e provavelmente causado por diminuição de exposição dos agentes para a esperada divulgação, nesta quarta-feira, da ata do Fomc. Câmbio: Em dia de forte volatilidade e venda de dólar via Swap cambial pelo Banco Central (coisa que não ocorria desde 2004), a moeda americana encerrou em alta, mas bem abaixo da máxima do dia. Juros: Seguindo principalmente o movimento da moeda americana, a curva brasileira voltou a abrir. Bolsa: Seguindo o cenário mundial pior, o Ibovespa apresentou forte queda. Perspectivas e Estratégia Operacional A divulgação da ata do Fomc na tarde de hoje deve ser o principal definidor da tendência de curtíssimo prazo dos mercados mundiais, com sinalização de cenário pior para a economia americana devendo causar novo movimento de desalocação em ativos de risco. Câmbio: O novo leilão de venda pelo BC e a formação da Ptax de liquidação do vencimento do contrato futuro sugerem volatilidade, com possível queda hoje da moeda americana. Juros: A curva brasileira deve seguir o movimento da moeda americana, com intensidade maior nos vértices longos. Bolsa: Assim como os outros mercados, a bolsa brasileira deve ter comportamento dependente do cenário internacional, com possibilidade de melhora, pelo menos até a divulgação da ata do Fomc. Análise Técnica Índice Futuro Junho O índice confirmou a retomada do processo de baixa, devendo respeitar o suporte em 36.490 para que não caia até 35.830, ponto que definirá a tendência de curto prazo. Correções deverão superar 36.910 e 37.100 para que dê indicações positivas com resistências em 37.480 e 37.750. Petrobras PN O papel respeitava R$ 43,35 no fechamento, o que deverá continuar acontecendo para que não caia até R$ 42,56 e R$ 42,12. Correção terá que romper R$ 43,83 e R$ 44,15 para que ganhe força e possa testar R$ 45,03 e R$ 45,50. Outro suporte em R$ 41,20. Telemar PN Após a queda durante todo o pregão, o papel se aproximava, no fechamento, do importante suporte em R$ 29,55 que, se respeitado, poderá indicar correção, com resistências em R$ 30,35, R$ 30,78 e R$ 31,11. Caso perca R$ 29,55, deverá acelerar a queda até R$ 28,78 e R$ 28,10. Vale do Rio Doce PNA Apesar da queda do papel ter sido mais fraca em relação ao mercado, ao final do pregão, perdia o importante suporte em R$ 44,48 o que, se confirmado nesta manhã, indicará queda até R$ 42,47 e R$ 41,40. Acima de R$ 45,10 projetará nova alta com resistências em R$ 45,60 e R$ 45,95.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.