Mercado fica de olho em dados de emprego nos EUA

São Paulo, 6 de setembro - O relatório de emprego norte-americano de setembro deve concentrar hoje as atenções do mercado. O temor de que a economia dos Estados Unidos enfrente um "pouso forçado" foi reduzido nos últimos dias, mas isso não impediu um dirigente do banco central norte-americano de afirmar, ontem, que a taxa de juros talvez precise ser elevada uma vez mais. Nesse contexto, a importância dos dados sobre emprego é ser uma nova ferramenta para se avaliar como anda a atividade no país, assim como qual o risco ainda apresentado pela inflação. EUA/Emprego - O Departamento do Trabalho dos EUA divulga às 9h30 (horário de Brasília) os dados do relatório de emprego (payroll) em setembro. A previsão dos economistas é de que tenham sido criados 125 mil postos de trabalho, contra 128 mil em agosto; que a taxa de desemprego tenha ficado em 4,7%, a mesma de agosto; e que o salário médio pago por hora trabalhada tenha subido 0,3%, ante 0,1% no mês anterior. EUA/Crédito - Às 16 horas (horário de Brasília), o Departamento do Comércio dos EUA divulga os dados do crédito ao consumidor em agosto. EUA/Discurso - Às 10h30 (horário de Brasília), o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) de Dallas, Richard Fisher, faz o discurso de abertura de uma conferência sobre migração, comércio e desenvolvimento, em Dallas (Texas). IBGE/Inflação - O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga às 9h30 o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.