Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Mercado ignora crise política e Bolsa sobe mais de 2%

Dólar terminou negócios em baixa, cotado a R$ 3,41, após ser negociado abaixo dos R$ 3,40 durante a sessão

Lucas Hirata, Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2016 | 18h32

O dólar comercial à vista fechou em queda de 0,23% nesta terça-feira, 6, aos R$ 3,4172, após ficar abaixo dos R$ 3,40 durante a sessão. A Bovespa recuperou perdas e fechou em alta de 2,10%, aos 61.088,24 pontos. 

Se pela manhã a preocupação principal era a chegada de um petista à presidência do Senado com o possível afastamento de Renan Calheiros, à tarde o mercado se tranquilizou. O catalisador do movimento veio da decisão da Mesa Diretora do Senado de que aguardará o posicionamento do plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) antes de afastar ou não Renan da presidência da Casa. 

Com isso, o mercado entendeu que há um aparente alinhamento entre senadores, inclusive do primeiro vice-presidente Jorge Viana (PT-AC), para dar sequência à tramitação de medidas de ajuste fiscal, como a PEC do Teto de Gastos, que deve ser votada em segundo turno na Casa no próximo dia 13.

Mercado de ações. O reajuste nos preços dos combustíveis anunciado pela Petrobrás nesta segunda-feira, 5, agradou a investidores, que temiam que a estatal não tivesse real autonomia para executar sua nova política de preços. Assim, as ações da petroleira reagiram em forte alta: ON teve ganhos de 3,27% e PN subiu 3,13%.

O comportamento mais estável do minério de ferro contribuiu para a valorização das ações da Vale, que subiram 1,43% (PNA) e 1,35% (ON, na máxima). O minério de ferro com pureza de 62% negociado no porto de Tianjin, na China, subiu 0,3% no mercado à vista e foi a US$ 78,6 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index.

A JBS teve uma das maiores altas de todo o mercado após o anúncio da aprovação do pedido de registro para IPO da JBS Foods International (JBSFI) nos Estados Unidos. Segundo a empresa, a operação vai diminuir a alavancagem, algo que chama a atenção dos investidores. JBS ON fechou em alta de 19,07%, na máxima do dia. 

Os bancos também fecharam em alta, influenciados pelo cenário político. Subiram Itaú Unibanco PN (+1,33%), Bradesco PN (+2,15%) e ON (+1,45%), Santander Brasil Unit (+1,60%) e Banco do Brasil ON (+0,11%). Na vésperda, o BB anunciou a renovação do acordo com os Correios para operação do Banco Postal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.