Mercado recebe bem dados de inflação nos EUA

O mercado financeiro recebeu com alívio os dados do índice de preços ao produtor (PPI) nos Estados Unidos, divulgados pela manhã, pois entendeu que, aparentemente, não há subsídio para uma seqüência do ciclo de aperto monetário no país. O PPI de março subiu 0,5%, superando as previsões. Além do PPI, outro dado deu respaldo à perspectiva de que o Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC) pode interromper seu ciclo de aperto monetário. O número de obras residenciais iniciadas em março caiu 7,8%, ante a previsão de recuo de 4,7%. As permissões para novas obras também recuaram acima do esperado, o que dá margem a uma avaliação de que há esfriamento do setor imobiliário. Após receber a notícia, o juro do título do Tesouro dos EUA de 10 anos, que estava estável, passou a receber compras, projetando o juro do papel em queda, para 4,9907%. Os futuros de Wall Street acentuaram a alta, com o S&P 500 avançando 0,24% e o Nasdaq 100 futuro, 0,15%. Antes dos dados, o S&P subia 0,19% e o Nasdaq 100 futuro, +0,07%. O dólar apagou o ganho para o iene e encontra-se em baixa, a 117,73 ienes. O euro virou e passou a registrar variação positiva (0,16%), a US$ 1,2276.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.