Mercados asiáticos recuam à espera de reunião do banco central dos EUA

Na China, mercado foi prejudicado também por realização de lucros antes de um feriado nesta semana

17 de setembro de 2013 | 07h12

Os mercados de ações da Ásia fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira, antes da reunião de política monetária do Federal Reserve. Os investidores estão aguardando o resultado do encontro, que deve ser publicado na quarta-feira, para obter mais informações sobre o futuro da política monetária dos EUA e do programa de estímulo à economia norte-americana.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi perdeu 0,4%, aos 2.005,58 pontos. Em Taipé, o índice Taiwan Weighted cedeu 0,1% e encerrou o pregão aos 8.249,78 pontos.

Por outro lado, nas Filipinas, o índice PSEi fechou em alta de 0,7%, aos 6.344,14 pontos, influenciado por ganhos em Wall Street na segunda-feira. As bolsas de Nova York fecharam em alta, com entusiasmo com a retirada da candidatura do ex-secretário do Tesouro Lawrence Summers para a presidência do Federal Reserve.

A saída de Summers da disputa pelo comando do Fed impulsionou as bolsas, uma vez que os investidores acreditavam que o desmonte dos estímulos do Fed seria mais intenso sob sua gestão.

Na China, além das preocupações sobre o futuro da política monetária dos EUA, uma realização de lucros antes de um feriado nesta semana também prejudicou as ações. O índice Xangai Composto fechou em queda de 2,1%, aos 2.185,56 pontos, com forte recuo em papéis de bancos antes do feriado de quinta e sexta-feira. O Shanghai Pudong Development Bank perdeu 5,7% e o China Merchants Bank cedeu 4%.

O índice Shenzhen Composto perdeu 1,4% e encerrou o pregão aos 1.030,25 pontos. Em Hong Kong, o forte recuo em Xangai puxou o índice Hang Seng para uma queda de 0,3%, para 23.180,52 pontos.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200 subiu menos de 0,1% e fechou aos 5.251,20 pontos, após a divulgação da ata da reunião de política monetária do Banco Central do país. O Banco da Reserva da Austrália (RBA, na sigla em inglês) deixou mais uma vez em aberto a possibilidade de reduzir ainda mais a taxa de juros do país, dependendo dos indicadores dos meses posteriores, mas acrescentou que não há uma intenção imediata de realizar um novo corte da taxa de juros.

Além disso, o RBA sinalizou que um novo corte depende do panorama, já que o dólar australiano mais fraco é útil para alcançar um reequilíbrio da economia para outras fontes de demanda. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ÁSIABOLSAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.