Mercados da Europa devem pressionar NY na abertura

Os índices futuros das bolsas de Nova York apontam para uma abertura em baixa nesta terça-feira, em meio à pressão exercida pelos mercados acionários europeus. Às 10h15 (pelo horário de Brasília), o índice futuro Dow Jones caía 0,22%, o Nasdaq perdia 0,11% e o S&P 500 também recuava 0,11%.

SERGIO CALDAS, Agencia Estado

28 de agosto de 2012 | 11h05

Os futuros em Wall Street mostraram alguma volatilidade mais cedo, mas passaram a cair cerca de uma hora antes da abertura, influenciados pelas ações europeias, que operavam em território negativo após dados econômicos da Espanha e a notícia de que a região da Catalunha vai pedir ajuda a Madri.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Espanha apresentou contração de 1,3% no segundo trimestre ante o mesmo período do ano passado, maior do que o declínio previsto anteriormente, de 1,0%. Já a Catalunha, a região autônoma mais endividada da Espanha, anunciou nesta terça-feira que pedirá 5,023 bilhões de euros em assistência financeira do programa de liquidez do governo central.

Os investidores em Nova York ficarão atentos aos números de confiança do consumidor dos Estados Unidos em agosto, com divulgação prevista para esta terça-feira. Economistas consultados pela Dow Jones estimam um ligeiro aumento no índice de confiança em relação a julho. No mesmo horário, o Federal Reserve de Richmond anuncia o índice de atividade industrial regional de agosto.

Os dados dos preços das residências nas 20 maiores áreas metropolitanas dos EUA em junho, divulgados nesta terça-feira, subiram 0,5% ante o mesmo mês do ano passado e 2,3% na comparação com maio. No pré-mercado, as ações da Lexmark caíam 0,1% depois de a empresa anunciar 1.700 demissões, representando quase 13% de seus funcionários.

Por outro lado, a Movado subia 10% depois de a fabricante de relógios de luxo anunciar resultados trimestrais melhores do que o esperado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
NYbolsasEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.