Mercados de ações da Europa recuam com preocupações sobre EUA

Aversão ao risco contamina também negócios no câmbio, com o euro testando nível de US$ 1,27

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

20 de agosto de 2010 | 08h30

A sinalização de paralisia na recuperação da economia norte-americana continua pesando nos mercados externos, evitando que o noticiário corporativo, especificamente envolvendo novas propostas hostis de aquisição de empresas, elimine o pessimismo. A aversão ao risco contamina também os negócios no câmbio, onde o euro testa o nível de US$ 1,27. Assim, petróleo e cobre vão deslizando ladeira abaixo. O contrato do WTI, que vence hoje na Nymex, já opera abaixo de US$ 74,00.

Embora as commodities estejam em baixa, os papéis do BG Group ganhavam mais de 4%, em reação a especulações de que haveria dois grupos interessados na empresa, com intenção de pagar pela companhia de energia britânica pelo menos 16 libras por ação. As ações da Dana Petroleum subiram mais cedo acima de 5%, após receber uma oferta não solicitada (hostil) da companhia Korea National Oil Corp de 1,87 bilhão de libras (US$ 2,92 bilhões) pela empresa. O conselho da empresa de petróleo britânica havia rejeitado uma oferta anterior.

As ações das mineradoras têm suas cotações limitadas pela perspectiva das eleições na Austrália neste final de semana, que podem resultar em manutenção ou introdução de imposto para as mineradoras.

No mercado de câmbio, o euro sofre com a aversão ao risco, que leva os investidores para o iene e para o franco suíço. Frente à moeda japonesa, o euro cedeu a uma mínima em sete semanas. A moeda japonesa enfrentava hoje menor limitação da ameaça de algum tipo de intervenção do governo para evitar a contínua apreciação do iene. O ministro da Economia do Japão, Satoshi Arai, disse que o governo não tem um plano específico para o Banco do Japão neste momento, mesmo com a alta do iene oferecendo risco para a economia. O ministro das Finanças, Yoshihiko Noda, disse que não sabe se o primeiro-ministro, Naoto Kan, irá reunir-se com o presidente do Banco do Japão, Masaaki Shirakawa, na próxima semana, apesar de a imprensa noticiar o encontro.

Às 9h16 (de Brasília), Londres caía 0,41%, Frankfurt cedia 0,93% e Paris recuava 1,16%. O euro caía para US$ 1,2714, de US$ 1,2820 no fim da tarde ontem em Nova York; o dólar subia para 85,39 ienes, de 85,29 ienes ontem.

O petróleo WTI operava em baixa de 1,07% para US$ 73,63 o barril e o cobre para dezembro recuava 1,74% para US$ 3,2815 por libra peso. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaseuropaeuarecuperaçãoeconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.