Mercados pioram em NY com dado de imóveis

A disparada de 5,2% nas vendas de imóveis usados em fevereiro nos EUA, conforme divulgado às 12h (de Brasília), provocou novo ajuste em vários mercados em Nova York. O indicado sugere uma economia aquecida e sinaliza, em tese, que o juro norte-americano pode subir por um período mais longo do que previa parte do mercado financeiro. No início desta tarde, o dólar registrava forte alta, enquanto os títulos do Tesouro dos EUA (Treasuries) despencavam, arrastando também as bolsas. A alta nas vendas contrariou as estimativas dos economistas de queda de 0,9%. Às 12h46 (de Brasília), o dólar subia para 117,66 ienes, de 117,04 ienes ontem. O euro caía para US$ 1,1985, um pouco acima da menor cotação do dia, a US$ 1,197, mas bem abaixo do fechamento a US$ 1,2076. O juro do título de 10 anos (Note) do Tesouro dos EUA operava em alta de 0,45%, a 4,721%. Chegou a 4,728% no pico do estresse hoje. O Dow Jones, principal índice da Bolsa de NY, caía 0,42% e o Nasdaq, que reúne grande parte das ações do setor de tecnologia, recuava 0,61%. As ações da General Motors (GM) subiam 1,32%, com anúncio de que fechou acordo para venda de 78% das operações de financiamento imobiliário de seu braço financeiro GMAC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.