Mercados reagem com indefinição ao PIB dos EUA

A desaceleração superior à prevista da economia norte-americana no segundo trimestre em relação ao período anterior, acompanhada de manutenção do ritmo de alta dos preços, provocou sensação de que o ciclo de aperto monetário norte-americano deve de fato ser interrompido. O juro dos títulos do Tesouro dos EUA caiu e o dólar perdeu boa tarde da valorização conquistada recentemente contra as demais moedas fortes. Os índices futuros de ações norte-americanas oscilaram, entre a preocupação com o ritmo da queda na atividade norte-americana e alívio com a possibilidade de as taxas de juro pararem de subir. Enquanto economistas esperavam expansão de 3,2% do PIB no segundo trimestre, de expansão de 5,6% no primeiro trimestre, o Departamento do Comércio dos EUA informou moderado crescimento de 2,5%. Ao mesmo tempo, o PCE dobrou em relação ao primeiro trimestre, para aumento de 4,1% no segundo trimestre, de elevação de 2% no período anterior. O núcleo do PCE subiu 2,9%, contra 2,1% no primeiro trimestre. O índice de preços para compras brutas domésticas, que reflete os preços pagos pelos residentes dos EUA, subiu 4%, após um aumento de 2,7%. O índice ponderado de preços (chain-weighted) subiu 3,3%, inferior às estimativas dos economistas de crescimento de 3,2%. Às 9h52 (de Brasília), o juro do título de 10 anos do Tesouro norte-americano caía para 5,0139%. O dólar cedia para 115,06 ienes, de 115,77 ienes ontem; o euro subia para US$ 1,2728, de US$ 1,2696. O futuro Nasdaq-100 subia 0,10% e o S&P 500 avançava 0,13%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.