Mercados reagem de forma instável à inflação dos EUA

Os índices futuros das Bolsas de Nova York reduziram as quedas expressadas desde cedo, logo após a divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) norte-americano de fevereiro. O S&P 500 chegou a operar momentaneamente no positivo. A avaliação é de que o CPI não agravou significativamente as preocupações associadas às pressões inflacionárias nos EUA, embora tenha apontado inflação maior do que a prevista. Mas os índices futuros do mercado acionário voltaram a aprofundar a indicação de queda. Por volta das 9h45 (de Brasília), o S&P 500 recuava 0,11% e o Nasdaq 100 futuro, 0,33%, de perdas de 0,27% e 0,41%, respectivamente, antes dos dados. O índice de preços ao consumidor norte-americano, informado pelo Departamento do Trabalho dos EUA, subiu 0,4% em fevereiro, superando o aumento de 0,3% esperado pelos analistas. Mas o núcleo, que exclui os preços de alimentos e energia, subiu 0,2%, em linha com a previsão. O ganho médio semanal dos trabalhadores norte-americanos, ajustado à inflação, caiu 0,3% em fevereiro. A média de ganho por hora subiu 0,4% em fevereiro e a média de horas trabalhadas na semana caiu 0,3%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.