Mercados têm reações divergentes em Wall Street

O relatório sobre o mercado de trabalho nos EUA em setembro trouxe informações ambíguas e que somadas não alteram a avaliação atual dos investidores em relação ao andamento da economia norte-americana. Os índices futuros das Bolsas de Nova York ampliaram levemente as perdas depois do dado, enquanto o dólar subiu. O juro dos títulos do Tesouro americano subiu. Com exceção dos futuros, que reagiram em sintonia à notícia de aumento bastante inferior ao previsto no payroll de setembro, a orientação dos negócios nos demais ativos, aparentemente, é técnica. Até mesmo a queda dos futuros tem indicação técnica, já que ontem o Dow Jones fechou em nível recorde. Embora a elevação de 51 mil no número de vagas criadas em setembro tenha sido inferior à previsão de alta de 125 mil dos economistas, a oferta de trabalho em agosto e julho foi superior ao que o Departamento do Trabalho havia calculado anteriormente. Em agosto, foram criadas subiu para 188 mil em agosto, de 128 mil na pesquisa anterior; em julho, aumentou para 123 mil, de 121 mil antes. Ao mesmo tempo, a taxa de desemprego caiu de 4,7% para 4,6% em setembro. Às 10h27 (de Brasília), o juro da T-Note de 10 anos subia para 4,6358%, depois de cair para 4,5965% na esteira do dado. O dólar titubeou, mas subia para 0,73% para 118,61 ienes; o euro caía 0,76% para US$ 1,2598. O futuro Nasdaq-100 caía 0,34% e o S&P 500 recuava 0,23%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

06 de outubro de 2006 | 10h29

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.