Merrill Lynch inclui TAM na lista das mais favorecidas

O banco Merrill Lynch incluiu a companhia aérea TAM numa lista composta de 27 grupos cujas ações poderão se beneficiar do novo cenário da economia mundial, marcado por uma desaceleração da atividade nos Estados Unidos, mas de vigor em outras partes do mundo.Em nota para clientes, o estrategista chefe de investimentos do banco norte-americano, Richard Bernstein, afirma que a desaceleração da economia mundial já começou. No próximo ano, o PIB global deverá crescer 4,4% ante os 5,2% previstos para 2006. ?Vemos o crescimento do PIB dos Estados Unidos caindo acentuadamente, de 3,4% para 1,9%?, disse Bernstein. ?A economia mundial já não pode depender apenas do consumidor dos Estados Unidos como um comprador de última instância, na nossa opinião.?Mas, segundo o analista, a boa notícia é que há fortes fontes de crescimento fora dos Estados Unidos que deverão se mostrar resistentes à desaceleração cíclica da economia norte-americana. O Merrill Lynch prevê que o crescimento mundial, com exceção dos Estados Unidos, deverá declinar apenas de 5,7% neste ano para 5,2% em 2007. Entre as principais fontes de vigor para a economia mundial, Bernstein destacou: ?a formação de capital e gastos do consumidor no Japão, a demanda dos consumidores na China, investimentos de empresas e consumo na Índia, demanda doméstica e investimento na Europa, e demanda doméstica dos exportadores de commodities?.Diante desse cenário, os estrategistas do banco elaboraram uma lista com recomendações de ações de grupos de vários países que se beneficiariam dessas fontes de vigor econômico. A TAM é o único grupo brasileiro incluído nessas recomendações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.