Metais avançam, sustentados por comentários otimistas do BC dos EUA

Federal Reserve (Fed) sugeriu, ontem, que o cenário econômico norte-americano está melhorando lentamente

Danielle Chaves, da Agência Estado,

27 de janeiro de 2011 | 10h26

Os metais básicos dão sequência ao movimento de alta nesta quinta-feira, sustentados por comentários feitos pelos membrso do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) ontem que sugeriram que a recuperação da economia dos EUA está no caminho certo.

Embora o Fed não tenha feito nenhuma mudança em sua política monetária, indicou que o cenário econômico do país está melhorando lentamente. Um aumento na compra de imóveis nos EUA, anunciada ontem, também colaborou para a esperança de uma demanda mais forte por metais no país, já que eles são amplamente usados no setor de construção.

Imerso em confiança nas perspectivas de longo prazo, o mercado mostrou pouca reação ao rebaixamento do rating da dívida do Japão pela Standard & Poor's, que surpreendeu alguns participantes dos mercados.

O desempenho do cobre é particularmente encorajador, segundo um operador de Londres, levando em conta a recente sensibilidade do metal a preocupações com um aperto da política monetária da China. O operador afirmou que os investidores parecem estar se concentrando nas perspectivas futuras do cobre, em vez de se concentrarem em notícias negativas no curto prazo.

Por volta de 9h45 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) operava a US$ 9.460 por tonelada, uma alta de 1,4% sobre o fechamento de ontem. O estanho atingiu o novo recorde de US$ 28.990 por tonelada, enquanto o níquel alcançou US$ 26.789 por tonelada, o maior nível em nove meses. No horário citado, o estanho subia 1,3%, para US$ 28.996 por tonelada, e o níquel avançava 0,6%, para US$ 26.670 por tonelada.

Entre os outros metais negociados na LME, o alumínio subia 1,0%, para US$ 2.410 por tonelada; o zinco caía 0,6%, para US$ 2.266 por tonelada; e o chumbo avançava 2,0%, para US$ 2.424 por tonelada. Na Comex, o cobre para março apresentava alta de 0,89%, a US$ 4,3050 por libra-peso, às 10h23 (de Brasília).

Apesar dos preços em alta, os estoques de vários metais básicos continuam aumentando, o que limita os ganhos. Os estoques de cobre nos armazéns da LME cresceram 2.575 toneladas ontem, para 397.275 toneladas. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.