Metais básicos e ouro sobem com declarações de Bernanke

Presidente do banco central dos EUA reafirmou a necessidade de juros baixos no país

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

25 de março de 2010 | 15h59

Os preços dos contratos futuros dos metais básicos e do ouro fecharam em alta, impulsionados por comentários do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, sobre a necessidade de juros baixos na economia norte-americana e também devido à leve apreciação do euro em relação ao dólar durante a maior parte da manhã.

 

"Os comentários de Bernanke sobre a política acomodatícia foram favoráveis à perspectiva de crescimento", disse Bill O'Neill, um dos diretores da LOGIC Advisors. "Além disso, também tivemos o movimento nos mercados de ações, com o Dow Jones chegando a subir 100 pontos" e as bolsas da Europa atingindo novas máximas para o ano, acrescentou.

 

Segundo o analista de metais Robin Bhar, do Crédit Agricole Corporate & Investment Bank, os mercados aguardam o resultado de uma cúpula da União Europeia sobre os problemas com a dívida da Grécia e alguns especuladores decidiram esperar até que haja mais clareza sobre o prognóstico da zona do euro para investir.

 

Uma autoridade da Alemanha afirmou que a chanceler Angela Merkel conseguiu o apoio da França em uma proposta que prevê um pacote de auxílio formado por empréstimos bilaterais e com recursos do Fundo Monetário Internacional (FMI) caso a Grécia precise de ajuda.

 

Na rodada livre de negócios (kerb) da tarde da London Metal Exchange (LME), o contrato do cobre para três meses subiu US$ 63,50, ou 0,86%, para US$ 7.434,50 por tonelada. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o preço do contrato do cobre para maio avançou US$ 0,0350, ou 1,05%, para US$ 3,3805 por libra-peso, enquanto o contrato do ouro para abril ganhou US$ 4,10, ou 0,38%, para US$ 1.092,90 por onça-troy.

 

Entre outros metais básicos negociados na LME, o contrato do chumbo para três meses fechou em alta de US$ 50,50, a US$ 2.076,50 por tonelada, enquanto o contrato do zinco subiu US$ 35,00, para US$ 2.245,00 por tonelada. O contrato do alumínio recuou US$ 4,00, para US$ 2.218,00 por tonelada, e o contrato do níquel ganhou US$ 575,00, para US$ 22.820,00 por tonelada. O contrato do estanho fechou em queda de US$ 45,00, a US$ 17.455,00 por tonelada.

 

Por volta das 12h (de Brasília), o euro subia para US$ 1,3361, de US$ 1,3324 na quarta-feira, embora perto do horário de fechamento dos mercados de metais a moeda europeia tenha recuado para US$ 1,3288. As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
commoditiesmetaiscobreníquelouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.