Metais básicos fecham em alta

Na LME, o contrato do cobre fechou em alta de 2,25%, a US$ 9.745,00 por tonelada

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado ,

31 de janeiro de 2011 | 17h34

Os preços dos contratos futuros dos metais básicos fecharam em alta, puxados pela valorização do cobre após a divulgação de indicadores econômicos mais fortes que o previsto nos EUA e uma redução nos estoques. O fortalecimento do euro em relação ao dólar também contribuiu para os ganhos.

Na rodada livre de negócios (kerb) da tarde da London Metal Exchange (LME) o contrato do cobre para três meses fechou em alta de US$ 215,00, ou 2,25%, a US$ 9.745,00 por tonelada - nível recorde de fechamento. Em janeiro, o contrato acumulou ganho de 1,51%. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do cobre para março subiu US$ 0,0855, ou 1,96%, para US$ 4,4585 por libra-peso, e avançou 0,26% no mês.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o contrato do chumbo para três meses fechou em alta de US$ 71,50, a US$ 2.509,00 por tonelada, enquanto o contrato do zinco avançou US$ 73,00, para US$ 2.426,00 por tonelada. O contrato do alumínio subiu US$ 48,00, para US$ 2.520,00 por tonelada. O contrato do níquel teve ganho de US$ 735,00 e encerrou o dia a US$ 27.350,00 por tonelada. O contrato do estanho fechou em alta de US$ 425,00 a US$ 30.075,00 por tonelada.

Nos EUA, o gasto do consumidor aumentou 0,7% em dezembro do ano passado em relação ao mês anterior, enquanto a renda pessoal subiu 0,4% na mesma base de comparação, segundo o Departamento de Comércio. Economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam que o gasto crescesse 0,5% e a renda aumentasse 0,4%.

Na Europa, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos 17 países que formam o bloco monetário subiu 2,4% em comparação com janeiro do ano passado, segundo dados preliminares da Eurostat. O indicador gerou mais expectativas de que os juros no bloco monetário vão aumentar em breve e isso fortaleceu o euro, que subia 0,7% ante o dólar perto do horário de fechamento dos mercados de metais.

Além disso, na LME, os estoques de cobre caíram 1,02% nesta segunda-feira, para 394.025 toneladas. "Isso ajudou as pessoas a verem que ainda há uma grande demanda por cobre", disse Sterling Smith, analista de mercado da Country Hedging.

Entre os metais preciosos, o contrato do ouro para fevereiro caiu US$ 6,90, ou 0,51%, para US$ 1.333,80 por onça-troy, diante da divulgação dos dados positivos sobre a economia norte-americana, que reduziram o volume de compras do metal baseadas na aversão ao risco. Em janeiro, o metal acumulou queda de 6,16%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLMEcobreouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.