Metais básicos fecham em alta

Na LME, o contrato do cobre para três meses fechou em alta de 1,22%, a US$ 9.880,00 por tonelada, acumulando ganho de 1,38% em fevereiro

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado ,

28 de fevereiro de 2011 | 17h40

Os preços dos contratos futuros dos metais básicos fecharam em alta, impulsionados pelo ajuste de posições relacionado ao encerramento do mês e pelo avanço do euro em relação ao dólar. O volume de negócios, no entanto, foi baixo, visto que alguns investidores mais cautelosos continuam fora do mercado por causa das incertezas geopolíticas.

Mais cedo, o euro tocou US$ 1,3858 - o maior nível desde 2 de fevereiro -, mas perto do horários de fechamento dos mercados de metais desacelerou a alta para US$ 1,3783, ante US$ 1,3754 na sexta-feira. O fortalecimento do euro torna as commodities denominadas em dólares mais baratas para os investidores europeus.

Na rodada livre de negócios (kerb) da tarde da London Metal Exchange (LME) o contrato do cobre para três meses fechou em alta de US$ 120,00, ou 1,22%, a US$ 9.880,00 por tonelada, acumulando ganho de 1,38% em fevereiro. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do cobre para março subiu US$ 0,0420, ou 0,95%, para US$ 4,4780 por libra-peso, e avançou 0,44% no mês.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o contrato do chumbo para três meses fechou em alta de US$ 44,00, a US$ 2.560,00 por tonelada, enquanto o contrato do zinco avançou US$ 29,50, para US$ 2.520,00 por tonelada. O contrato do alumínio subiu US$ 34,00, para US$ 2.599,00 por tonelada. O contrato do níquel ganhou US$ 800,00 e encerrou a sessão a US$ 28.990,00 por tonelada. O contrato do estanho fechou em alta de US$ 270,00 a US$ 32.320,00 por tonelada.

A ETF Securities divulgou que seus fundos baseados em commodities e negociados em bolsa tiveram a primeira saída líquida de capital em 19 semanas. "Os investidores parecem ter mais dúvidas sobre a perspectiva para os metais industriais, com um fluxo praticamente nulo de entrada de capital nos ETFs de metais industriais", acrescentou.

Entre os metais preciosos, o contrato do ouro para abril subiu US$ 0,60, ou 0,04%, para US$ 1.409,90 por onça-troy, recebendo leve suporte das tensões na Líbia. "O nervosismo em relação ao Oriente Médio estão provocando uma procura sólida por ouro no momento", disse Sterling Smith, analista de mercado da Country Hedging. Em fevereiro, o contrato acumulou ganho de 5,65%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLMEcobreouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.