Metais básicos fecham em alta em Londres

Na LME, o contrato do cobre para três meses fechou em alta de 2,72%, a US$ 9.760,00 por tonelada, mas recuou 1,0% na semana

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado ,

25 de fevereiro de 2011 | 17h29

Os preços dos contratos futuros dos metais básicos fecharam em alta, diante de uma redução dos receios com o aumento nos preços do petróleo e seus potenciais impactos sobre a economia caso a Líbia suspenda completamente suas exportações da commodity.

Ontem a Arábia Saudita informou que está disposta a compensar uma eventual interrupção no fornecimento de petróleo por parte da Líbia, onde os manifestantes contrários ao governo de Muamar Kadafi continuam sendo violentamente reprimidos pelas forças de segurança. O anúncio dos sauditas tranquilizou o mercado de petróleo e evitou que o valor do barril continuasse subindo de forma acentuada.

Investidores do mercado de metais básicos estavam preocupados com a possibilidade de o preço dos combustíveis ficar muito alto, desacelerando a recuperação da economia mundial e também a demanda por cobre e outros produtos.

"Na próxima semana, acreditamos que a pressão de declínio sobre os preços do petróleo continuará, principalmente com os investidores começando a embutir nos preços a possibilidade de queda do governante do país", disse o analista Edward Meir, da MF Global.

Na rodada livre de negócios (kerb) da tarde da London Metal Exchange (LME) o contrato do cobre para três meses fechou em alta de US$ 259,00, ou 2,72%, a US$ 9.760,00 por tonelada, mas recuou 1,0% na semana. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do cobre para março subiu US$ 0,1095, ou 2,53%, para US$ 4,4360 por libra-peso, mas caiu 1,02% na semana.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o contrato do chumbo para três meses fechou em alta de US$ 17,00, a US$ 2.516,00 por tonelada, enquanto o contrato do zinco avançou US$ 17,50, para US$ 2.490,50 por tonelada. O contrato do alumínio subiu US$ 25,00, para US$ 2.565,00 por tonelada. O contrato do níquel ganhou US$ 685,00 e encerrou a sessão a US$ 28.190,00 por tonelada. O contrato do estanho fechou em alta de US$ 405,00 a US$ 32.050,00 por tonelada.

No segmento dos metais preciosos, o contrato do ouro para abril negociado na Comex caiu US$ 6,50, ou 0,46%, para US$ 1.409,30 por onça-troy, recebendo pressão da diminuição nos receios com os preços do petróleo, mas subiu 1,49% na semana.

"O ouro estava avançando por causa da incerteza e a Arábia Saudita foi o fator de estabilização", disse Frank McGhee, diretor de operações com metais preciosos da Integrated Brokerage Services. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLMEcobreouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.