Metais básicos fecham em queda

Na LME, o contrato do cobre para três meses fechou em baixa de 1,34%, a US$ 9.570,00 por tonelada

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

19 de janeiro de 2011 | 17h40

Os preços dos contratos futuros dos metais básicos fecharam em baixa, pressionados pela realização de lucros após a divulgação de dados mistos sobre o setor de moradia dos EUA e diante do avanço nos preços do cobre para um nível recorde durante o pregão. Alguns investidores mais cautelosos também estavam ajustando posições antes da divulgação de uma bateria de indicadores da China, na quinta-feira, e isso também pesou sobre os preços dos metais.

Na rodada livre de negócios (kerb) da tarde da London Metal Exchange (LME) o contrato do cobre para três meses fechou em baixa de US$ 130,00, ou 1,34%, a US$ 9.570,00 por tonelada, embora pela manhã tenha atingido US$ 9.781,00 por tonelada, um recorde intraday. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do cobre para março caiu US$ 0,0580, ou 1,31%, para US$ 4,37 por libra-peso.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o contrato do chumbo para três meses fechou em queda de US$ 92,00, a US$ 2.531,00 por tonelada, enquanto o contrato do zinco recuou US$ 46,50, para US$ 2.389,00 por tonelada. O contrato do alumínio caiu US$ 19,00, para US$ 2.430,00 por tonelada. O contrato do níquel teve perda de US$ 405,00 e encerrou o dia a US$ 25.670,00 por tonelada. O contrato do estanho fechou em baixa de US$ 70,00 a US$ 26.850,00 por tonelada.

Nos EUA, o Departamento do Comércio informou que o número de obras residenciais iniciadas no país caiu 4,3% em dezembro ante novembro, mas divulgou que o número de licenças para a construção de moradias cresceu 16,7% na mesma base de comparação. Os preços do cobre em geral reagem fortemente a dados como este, já que o metal é amplamente utilizado em encanamentos e fios elétricos.

"O relatório sobre obras residenciais iniciadas foi um pouco decepcionante", disse Sterling Smith, analista de mercado da Country Hedging in Minnesota.

Entre os metais preciosos, o contrato do ouro para fevereiro fechou em alta de US$ 2,00, ou 0,15%, a US$ 1.370,20 por onça-troy, impulsionado pela "fraqueza do dólar", segundo Smith. A moeda norte-americana estava sob pressão por causa da visita do presidente da China, Hu Jintao, aos EUA, que chamou a atenção dos investidores para o aumento no desequilíbrio fiscal dos EUA e para a controversa taxa de câmbio do yuan.

Pouco após o horário de fechamento do mercado de ouro, o índice ICE Dollar caía 0,6%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLMEcobreouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.