Metais básicos fecham em queda

Na LME, o contrato do cobre para três meses caiu 2,33%, a US$ 9.321,00 por tonelada

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado ,

27 de abril de 2011 | 15h16

Os preços dos contratos futuros dos metais básicos caíram, pressionados pela aversão ao risco que tomou conta dos investidores antes da entrevista coletiva que será concedida pelo presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, por volta das 15h15 (de Brasília). Embora a maior parte dos investidores não esteja esperando novidades da autoridade, alguns acreditam que ele pode sinalizar um futuro aperto na política monetária do banco central norte-americano.

"Temos muita incerteza no momento e isso está afastando os compradores", disse o operador e analista de futuros Frank Lesh, da FuturePath Trading.

Na rodada livre de negócios (kerb) da tarde da LME, o contrato do cobre para três meses caiu US$ 223,00, ou 2,33%, a US$ 9.321,00 por tonelada. Na Comex, divisão de metais da Nymex, o contrato do cobre para maio perdeu US$ 0,0910, ou 2,11%, para US$ 4,2280 por libra-peso.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o contrato do chumbo para três meses fechou em queda de US$ 61,00, a US$ 2.497,00 por tonelada, enquanto o contrato do zinco recuou US$ 20,50, para US$ 2.240,00 por tonelada. O contrato do alumínio caiu US$ 2,50, para US$ 2.743,50 por tonelada. O contrato do níquel perdeu US$ 20,00 e encerrou a sessão a US$ 26.630,00 por tonelada. O contrato do estanho fechou em baixa de US$ 725,00, a US$ 31.995,00 por tonelada.

Pouco depois do encerramento do mercado de metais básicos, o Fed anunciou a manutenção de sua política monetária atual e divulgou que pretende encerrar seu programa de compras de Treasuries em junho, conforme o previsto. Analistas acreditam que a redução do volume de liquidez no sistema financeiro que ocorrerá após o fim do programa de títulos pode diminuir a demanda por metais.

Entre os metais preciosos, o contrato do ouro para junho negociado na Comex fechou em alta de US$ 13,60, ou 0,90%, a US$ 1.517,10 por onça-troy - novo recorde. O avanço foi motivado pelo fato de o Federal Reserve ter decidido manter as taxas de juros baixas, alimentando expectativas de que a inflação deve ganhar força nos EUA. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLMEcobreouroFedBernanke

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.