Metais caem com alta do dólar frente ao euro

Valorização das commodities metálicas também reflete as vendas de participantes chineses em Londres

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

29 de outubro de 2010 | 09h44

Os metais básicos cedem nesta manhã, pressionados pela alta do dólar contra o euro e por vendas de participantes chineses em Londres. Traders da London Metal Exchange (LME) disseram que vendas para arbitragem de cobre e zinco por investidores da China provocaram realização de lucros entre os comprados. Um analista acrescentou que a onda de vendas pelos chineses deve ter sido provocada por enfraquecimento do mercado à vista de cobre.

O cobre para três meses cedeu para uma mínima em três semanas de US$ 8.140,00 a tonelada antes de se estabilizar. Às 9h14 (de Brasília), o cobre operava a US$ 8.195,00 a tonelada na LME, queda de 1,7%. O zinco cedeu 3,2% para US$ 2.414,25 a tonelada.

Na Comex eletrônica, em Nova York, o contrato de dezembro do cobre caía 1,37% para US$ 3,7360 por libra peso às 9h42 (de Brasília).

Um especialista disse que a possibilidade de greve na mina de cobre chilena Escondida, uma das maiores do mundo, deve evitar que o cobre caia abaixo de US$ 8.000,00 a tonelada na LME.

O zinco, por sua vez, foi pressionado ainda pelo forte aumento nos estoques do metal na LME pelo terceiro dia seguido. Desde a quarta-feira, o preço do zinco caiu 7,7%.

Entre outros metais negociados na LME, o alumínio caía 1,2% no mesmo horário acima, para US$ 2.319,00 a tonelada, o níquel cedia 1,3% para US$ 22.809,00 a tonelada, e o estanho recuava 3,4% para US$ 25.350,00 a tonelada. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.