Metais cedem seguindo bolsas e queda do euro

Analistas afirmam que um novo mergulho na recessão norte-americana estão de volta

20 de agosto de 2010 | 09h13

Os metais básicos recuam na London Metal Exchange (LME), seguindo as bolsas e prejudicados pelo fortalecimento do dólar frente ao euro. "Os temores de um novo mergulho na recessão voltaram", disse o estrategista do Triland Metal em Londres, Herwig Schmidt.

Às 8h42 (de Brasília), o contrato para três meses do cobre caía 1,2% para US$ 7.210,00 a tonelada métrica. O alumínio cedia 2,1% para US$ 2.023,00 a tonelada. Às 9h17 (de Brasília), o cobre para dezembro caía 1,77% para US$ 3,2805 por libra peso.

Especialistas dizem que a correção de baixa do alumínio deve prosseguir, sem evidências de um suporte no curto prazo. A produção total de alumínio subiu 2,8% ou 55 mil toneladas em julho, para 2.054 milhões de toneladas, em comparação a junho, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Internacional de Alumínio. A produção em julho foi 5,3% ou 104 mil toneladas superior à produção de julho do ano passado.

Entre outros metais, o zinco caía 1,7% no mesmo horário acima, para US$ 2.055,00 a tonelada na LME. O chumbo operava a US$ 2.068,00 a tonelada, o níquel valia US$ 21.400,00 a tonelada e o estanho era negociado a US$ 20.700,00 a tonelada, os três caindo 1,8% cada. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.