Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Metais operam de lado, à espera de dados nos EUA

Ativos recuaram na madrugada após retração na produção industrial japonesa em agosto

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

30 de setembro de 2010 | 09h24

Os metais básicos operam em leve baixa em Londres, movimentando-se em margem estreita, uma vez que os investidores aguardam a divulgação de indicadores econômicos nos Estados Unidos mais tarde. Os metais caíram na madrugada depois que o governo do Japão informou retração na produção industrial em agosto. A expectativa de mais um longo feriado na China também comprimiu os preços durante a madrugada. Os mercados chineses ficam fechados de amanhã até a próxima quinta-feira.

 

Às 8h19 (de Brasília), o contrato para três meses do cobre caía 0,2% na London Metal Exchange (LME) para US$ 8.500,00 por tonelada. Na Comex, o contrato de dezembro cedia 0,04% para US$ 3,6600 por libra peso às 9h06 (de Brasília).

 

Na LME, o contrato de três meses do alumínio operava em baixa de 0,1% próximo às 8h19 (de Brasília), a US$ 2.339,00 a tonelada; o contrato do zinco cedia 1,2% para US$ 2.198,00 a tonelada; o contrato do chumbo recuava 0,8% para US$ $2.280,25 a tonelada; o contrato do níquel operava em baixa de 0,3% para US$ 23.285,00 a tonelada. O contrato de estanho, entretanto, continuava a mostrar desempenho superior ao dos demais metais, operando próximo à máxima de 30 meses a US$ 24.400,00 a tonelada, alta de 0,3%.

 

Analistas disseram que o dólar fraco continua a beneficiar os metais, deixando os preços dos contratos atraentes. A retração nos estoques também dá sustentação subjacente aos preços. Nos armazéns da LME, os estoques de cobre caíram 950 toneladas na quarta-feira para 374.150 toneladas; os estoques de alumínio cederam 3.150 toneladas para 4,355 milhões de toneladas; os estoques de níquel recuaram 102 toneladas para 122.556 toneladas; os estoques de chumbo recuaram 225 toneladas para 191.700 toneladas e os estoques de estanho recuaram 85 toneladas para 13.430 toneladas. Os estoques de zinco, entretanto, subiram 225 toneladas para 616.750 toneladas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LMEmetaiscobre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.