Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Metais operam em alta após reação de ontem à S&P

Pouco antes das 8h (de Brasília), o cobre na LME operava a US$ 9.299,50 por tonelada, alta de 0,8% sobre o fechamento de ontem

Danielle Chaves, da Agência Estado ,

19 de abril de 2011 | 08h46

Os metais básicos operam em alta, beneficiados pela retomada das compras depois das vendas observadas ontem em seguida ao rebaixamento da perspectiva do rating soberano dos EUA pela Standard & Poor's (S&P), de estável para negativa. Após a notícia, os investidores fugiram para ativos seguros.

Segundo David Wilson, diretor de pesquisa de metais do Société Générale, os mercados foram pegos de surpresa ontem, o que prejudicou o sentimento. "Mas isso foi uma reação imediata e outros sinais econômicos mostram que a economia está, no geral, se acelerando", disse.

Um dólar mais fraco também fornece sustentação para os metais, que são denominados na moeda norte-americana. No entanto, apesar da recuperação, uma maior correção nos preços dos metais não pode ser descartada, segundo alguns participantes do mercado.

Embora a reação de ontem possa ter sido exagerada, "a situação da dívida na Europa e os contínuos apertos monetários na China são mais relevantes e podem exercer mais pressão de baixa sobre o mercado", observou William Adams, analista da FastMarkets.com, em nota a clientes.

Adams comentou também que, apesar de o alumínio - o destaque recente - ainda parecer bem sustentado tecnicamente, as pesadas perdas da última semana estão começando a prejudicar os fundamentos técnicos do cobre, do chumbo e do zinco, enquanto o estanho e o níquel testam níveis de suporte.

Pouco antes das 8h (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) operava a US$ 9.299,50 por tonelada, uma alta de 0,8% sobre o fechamento de ontem. O alumínio subia 0,1%, para US$ 2.678 por tonelada; o zinco operava estável a US$ 2,325 por tonelada; o níquel avançava 0,3%, para US$ 25.575 por tonelada; o chumbo ganhava 1,1%, para US$ 2.555,25 por tonelada; e o estanho tinha alta de 0,8%, para US$ 32.600 por tonelada.

Às 8h20 (de Brasília), o cobre para maio negociado na Comex subia 0,63%, a US$ 4,2245 por libra-peso. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLMEcobreS&P

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.