Metais recuam em sessão de volatilidade

Investidores aproveitam para embolsar os lucros obtidos recentemente

Danielle Chaves, da Agência Estado,

23 de dezembro de 2010 | 11h18

Os metais básicos recuam conforme o fim do ano se aproxima e os participantes do mercado aproveitam para realizar lucros. Segundo um operador de Londres, os metais estão em uma "zona sombria", com a liquidez caindo significativamente e as atividades dominadas por volatilidade.

Os fatores de direção para o mercado hoje deverão ser os indicadores nos EUA. Sinais de recuperação econômica vão melhorar o sentimento dos investidores com relação aos metais industriais. No entanto, boas notícias provavelmente não terão impacto forte sobre os preços, já que qualquer rali deve ser revertido rapidamente, de acordo com Robin Bhar, analista do Credit Agricole.

Hoje são esperados dados de auxílio-desemprego, as encomendas de bens duráveis e a renda pessoal e gasto dos consumidores dos EUA, seguidos pelo sentimento do consumidor medido pela Universidade de Michigan, e as vendas de imóveis residenciais novos.

As negociações entre o Natal e o Ano Novo deverão ser ainda menores do que nesta semana, com "atividades escassas e faixas de oscilação estreitas". No entanto, os preços deverão ficar vulneráveis à realização de lucros, como observou Bhar.

Por volta das 9h30 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) operava a US$ 9.270 por tonelada, uma queda de 0,9% sobre o fechamento de ontem. Entre os outros metais, o alumínio caía 0,5%, para US$ 2.450 por tonelada; o zinco recuava 1,1%, para US$ 2.305 por tonelada; o níquel cedia 1,0%, para US$ 23.820 por tonelada; o chumbo declinava 0,4%, para US$ 2.430 por tonelada; e o estanho operava em baixa de 0,8%, para US$ 26.600 por tonelada.

Às 10h15 (de Brasília), o cobre para março negociado na Comex caía 0,85%, para US$ 4,2385 por libra-peso. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.