Metais reduzem perdas conforme euro se recupera diante do dólar

Por volta das 8h, cobre para três meses operava a US$ 7.390 por tonelada, queda de US$ 100 sobre o fechamento de ontem

Danielle Chaves, da Agência Estado,

28 de abril de 2010 | 09h19

Os metais básicos reduzem as perdas registradas mais cedo na London Metal Exchange (LME) conforme o euro se recupera diante do dólar. No entanto, os receios de que o euro seja prejudicado pela crise de dívida da Grécia permanecem elevados e analistas dizem que é prematuro dizer se o euro já passou do pior momento em relação ao dólar, depois da forte queda de ontem.

 

O cobre caiu para a mínima em um mês, mas conseguiu se manter acima da média móvel dos últimos 100 dias, de US$ 7.318 por tonelada. O alumínio recuou para seu menor nível desde o começo de março, embora o declínio tenha se desacelerado em relação à baixa de 7% vista ontem. Às 8h50 (de Brasília), o euro subia para US$ 1,3200, de US$ 1,3181 no fim da tarde de ontem.

 

Analistas e operadores afirmaram que os preços dos metais serão amplamente guiados pela relação entre euro e dólar e pela confiança dos investidores, já que os fundamentos dos metais estão sólidos e continuam melhorando. "Isso realmente depende do que acontecer com o socorro para a Grécia", afirmou David Wilson, analista de metais do Société Générale, em Londres. "Tem muito pouco a ver com o mercado de metais", acrescentou.

 

Um operador também afirmou que o mercado de câmbio é o principal guia para os metais - mais do que a aversão ao risco ou o receio de que as crises de dívida soberana na zona do euro possam reduzir o consumo de metais.

 

Os mercados financeiros serão bastante acompanhados hoje, à espera do resultado da reunião entre a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn.

Por volta das 8h (de Brasília), o cobre para três meses operava a US$ 7.390 por tonelada, uma queda de US$ 100 sobre o fechamento de ontem. O alumínio caía US$ 20, para US$ 2.125 por tonelada; o níquel recuava US$ 814, para US$ 25.086 por tonelada; o zinco perdia US$ 60, para US$ 2.300 por tonelada; o chumbo declinava US$ 54,50, para US$ 2.245 por tonelada; e o estanho operava com queda de US$ 744, para US$ 17,801 por tonelada. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
MetaisLME

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.