Metais seguem sem direção, mas reduzem perdas com alta do euro

Mas a incerteza sobre a crise da dívida da Grécia continua a pesar sobre a confiança do investidor antes do voto crucial do plano de austeridade grego pelo parlamento na quarta-feira

27 de junho de 2011 | 09h07

Os contratos futuros dos metais básicos seguem sem direção única na London Metal Exchange (LME), embora tenham reduzido suas perdas iniciais, impulsionados pela alta do euro. No entanto, a incerteza sobre a crise da dívida da Grécia continua a pesar sobre a confiança do investidor antes do voto crucial do plano de austeridade grego pelo parlamento na quarta-feira.

Às 7h58 (de Brasília), o contrato do cobre para três meses negociado na LME recuava 0,4%, para US$ 9.005,00 a tonelada, mas acima da mínima registrada mais cedo de US$ 8.942,25 a tonelada. Na Comex, o cobre para julho cedia 0,68%, para US$ 4,0705 por libra-peso.

O contrato do alumínio para três meses subia 0,1%, para US$ 2.502,00 a tonelada.

Segundo participantes da indústria, o complexo deverá seguir amplamente os mercados cambiais até que o voto no parlamento forneça alguma direção.

O Commerzbank disse que "embora os investidores não estejam dando qualquer apoio para os preços do cobre, há ainda um potencial de alta no nosso ponto de vista, se eles começarem a apostar cada vez mais no aumento dos preços nas próximas semanas e meses."

Os metais básicos também receberam algum suporte de um relatório positivo sobre os estoques na LME, que mostraram declínio na maioria dos metais, com exceção do chumbo. Os estoques do cobre diminuíram 3.175 toneladas, para 470.525 toneladas, enquanto os do alumínio recuaram 11.475 toneladas, para 4,533 milhões de toneladas.

Entre os outros metais negociados na LME, o contrato do níquel para três meses operava estável, em US$ 22.150,00 a tonelada por volta das 7h58 (de Brasília). O contrato do chumbo recuava 0,8%, para US$ 2.560 a tonelada, enquanto do estanho subia 0,5%, para US$ 25.100,00 a tonelada. O contrato do zinco avançava 0,2%, para US$ 2.259,00 a tonelada. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.