Metais sobem amparados por dólar fraco e sentimento positivo após Fed

Mercados financeiros receberam bem o compromisso do banco central dos EUA, demonstrado ontem, de manter as taxas básicas de juros no país em níveis super baixos para tentar estimular a economia

Danielle Chaves, da Agência Estado,

28 de abril de 2011 | 10h10

Os metais básicos avançam, sustentados pelo enfraquecimento do dólar e pelo avanço nas bolsas. Os mercados financeiros receberam bem o compromisso do Federal Reserve, demonstrado ontem, de manter as taxas básicas de juros nos EUA em níveis super baixos para tentar estimular a economia norte-americana.

O dólar está sendo pressionado pelas declarações do presidente do Fed, Ben Bernanke, ontem, de que as taxas de juros continuarão baixas "por um período prolongado". Com isso, os metais denominados em dólares ficaram mais baratos para portadores de outras moedas.

A recente queda nos preços dos metais também ajudou a atrair compradores em busca de pechinchas, segundo operadores. Outro fator que norteia os metais é o fim de semana prolongado em Londres em razão do casamento do príncipe William, amanhã, quando os mercados locais ficarão fechados.

Edward Meir, analista da MF Global, afirmou que o mercado de cobre continua operando relativamente apertado, com os preços oscilando entre US$ 8.900 e US$ 10.000 por tonelada. "O cobre em particular está preso em uma queda de braço entre o dólar fraco e as preocupações com uma desaceleração no crescimento causada pela elevação das taxas de juros, especialmente na China", disse.

Por volta das 9h (de Brasília), o cobre para três meses operava com alta de 0,6% na London Metal Exchange (LME), a US$ 9.375 por tonelada, enquanto o alumínio subia 0,8%, para US$ 2.767 por tonelada, perto das máximas em 32 meses.

O zinco avançava 0,2%, para US$ 2.244,50 por tonelada; o chumbo ganhava 0,7%, para US$ 2.515 por tonelada; e o estanho tinha alta de 0,9%, para US$ 32.275 por tonelada. O níquel era o único metal básico em queda, com -0,2%, aos US$ 26.580 por tonelada.

Às 10h05 (de Brasília), o cobre para maio subia 0,66%, para US$ 4,2560 por libra-peso na Comex. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.