Metais sobem com rali de alívio, ajudados pela alta do euro

Na Comex, o cobre para julho subia 0,48%, a US$ 4,2295 por libra-peso, às 8h25 (de Brasília)

Danielle Chaves, da Agência Estado,

29 de junho de 2011 | 08h40

Os metais básicos operam em alta, beneficiados pelo enfraquecimento do dólar e pela cobertura de vendas a descoberto que ajudam a puxar o rali de alívio iniciado ontem depois que o Parlamento da Grécia aprovou o plano de austeridade do governo.

Durante a madrugada o euro subiu para os maiores níveis em três semanas, acima de US$ 1,45. Além da aprovação das medidas de austeridade na Grécia, a moeda está sendo impulsionada pelas expectativas de que o Banco Central europeu (BCE) elevará a taxa básica de juros da zona do euro na reunião do dia 7 de julho.

A cobertura de vendas a descoberto, que envolve investidores que compram contratos para fechar uma posição vendida, está ajudando principalmente o cobre, segundo a Citi Global Commodities.

Os ganhos são sustentados também pelas informações sobre diminuição dos estoques mantidos na London Metal Exchange (LME). Os estoques de cobre caíram 1.775 toneladas ontem, para 465.250 toneladas, e os de alumínio declinaram 10.300 toneladas, para 4,45 milhões de toneladas.

No entanto, analistas alertam que a melhora no sentimento dos mercados provavelmente será temporária. Will Adams, analista do Fastmarkets.com, comentou que, "de fato, outra tranche do empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia para a Grécia apenas aumenta o nível de dívida".

Por volta das 7h40 (de Brasília), o cobre para três meses era negociado na LME a US$ 9.357 por tonelada, uma alta de 0,4% sobre o fechamento de ontem. O alumínio subia 0,6%, para US$ 2.549 por tonelada; o zinco ganhava 0,7%, para US$ 2.333 por tonelada; o chumbo avançava 0,7%, para US$ 2.653 por tonelada; e o estanho tinha alta de 1%, para US$ 26.100 por tonelada. O níquel liderava os ganhos, com +1,2%, a US$ 23.348 por tonelada.

Na Comex, o cobre para julho subia 0,48%, a US$ 4,2295 por libra-peso, às 8h25 (de Brasília). As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.